Duo Prettos põe no ar o primeiro EP do álbum ‘Axé’


Bambas de São Paulo, Magnu Sousá e Maurílio de Oliveira falam de amor e racismo em sambas como ‘Dose de carinho’ e ‘Vitória é nossa glória’. ♪ Axé é o título do terceiro álbum de estúdio do duo Prettos. Formado pelos irmãos Magnu Sousá e Maurílio de Oliveira, bambas do samba de São Paulo, o duo apresenta na sexta-feira, 19 de novembro, o primeiro dos quatro EPs que compõem o álbum Axé.
Intitulado Axé – Ar, esse primeiro EP expõe na capa – assinada pelo artista visual Dracoimagem – um fragmento da arte da capa do álbum. Assim como o repertório foi dividido em quatro EPs, sendo cada disco batizado com o nome de um dos quatro elementos da natureza, a arte da capa também será completada paulatinamente com as edições dos três próximos EPs.
Com quatro músicas inéditas, o EP Axé – Ar segue a cadência do samba para tocar em questões recorrentes na obra do duo, como a filosofia de vida baseada em religião de matriz africana e a reverência à ancestralidade, além da luta contra o racismo. Essa batalha cotidiana contra o racismo estrutural é o assunto da letra do samba Vitória é nossa glória (Magnu Sousá e Maurílio de Oliveira).
Além de Vitória é nossa glória, o lote de composições inéditas do EP Axé – Ar é formado por Magia (Magnu Sousá, Maurilio de Oliveira e Marco Antonio), Dose de carinho (Serginho Madureira, Serginho Meriti e Paulinho Bigail) – música apresentada como “samba de poesia leve e melodia doce” – e Trabalhar, trabalhar (Magnu Sousá e Maurilio de Oliveira).
Capa do EP ‘Axé – Ar’, do duo Prettos
Dracoimagem
“Esse álbum Axé une tudo o que nós somos e acreditamos nos sentidos filosófico, espiritual, social e político”, conceitua Magnu Souzá, diretor artístico do disco.
Sob a direção musical de Maurílio de Oliveira, o duo Prettos procura reproduzir no álbum Axé a sonoridade acústica e basicamente percussiva dos pagodes dos anos 1970 e 1980, evocando o samba de Beth Carvalho (1946 – 2019), madrinha artística do Quinteto em Branco e Preto, grupo fundado em 1997 que deu projeção a Magnu Sousá e Maurílio de Oliveira ao longo dos anos 2000.
Tanto que o baixo tocado por Marcelo Batman – música convidado do disco ao lado de Markão Nenê (caixa e cuíca) e de Leo Carvalho (bateria) – é o único instrumento elétrico do álbum Axé.
Axé é o primeiro álbum do duo desde Quintal dos Prettos (2021), registro ao vivo da roda de samba de 4 de agosto de 2019 em que Magnu Souzá e Maurílio de Oliveira receberam convidados como Emicida e Maria Rita.