Duda Brack canta com Ney Matogrosso e regrava tema de Silvio Rodríguez no álbum ‘Caco de vidro’


♪ Composta em 1974 pelo artista cubano Silvio Rodríguez e lançada na voz do autor no ano seguinte, em gravação feita para o álbum álbum Días y flores (1975), a canção Sueño con serpientes ganha a voz da cantora Duda Brack, 41 anos após ter sido apresentada ao Brasil por Milton Nascimento no álbum Sentinela (1980).
A regravação de Sueño con serpientes integra o repertório de Caco de vidro, segundo álbum solo de Duda Brack, cantora e compositora gaúcha residente na cidade do Rio de Janeiro (RJ). O repertório também inclui Tu, parceria de Júlia Vargas e André Vargas.
Precedido por dois singles em que a artista apresentou as gravações das então inéditas músicas Pedalada (Duda Brack e Chico Chico, 2020) e Toma essa (Bruna Caram, 2020), editadas em março e novembro do ano passado, respectivamente, o álbum Caco de vidro tem lançamento programado para 15 de outubro.
Antes, na próxima sexta-feira, 17 de setembro, sai o terceiro e último single do álbum, Ouro lata, gravado por Duda em dueto com Ney Matogrosso.
Composição de autoria da própria Duda Brack, Ouro lata é música feita com inspiração no livro As veias abertas da América Latina (1971), do escritor uruguaio Eduardo Galeano. Quem assina a produção musical e o arranjo da música é a banda soteropolitana BaianaSystem.
Ao ser formatada em estúdio com o paredão sonoro do grupo, a música Ouro lata foi revestida com células rítmicas do funk carioca, do ijexá da Bahia e do afrosamba.
A intenção de Duda Brack, ao escrever a letra de Ouro lata, foi traçar paralelo entre a colonização da América Latina e o neocolonialismo que se insinua no Brasil nos dias de hoje, mas, na moral dessa história de denominação, a música enaltece a habilidade do povo do país para transformar a lata em ouro, usando a cultura como forma de resistência. Na teoria, parece interessante…