Dorival Caymmi tem reeditados em EP cinco fonogramas raros, gravados no início dos anos 1940


♪ A parte mais expressiva da discografia de Dorival Caymmi (30 de abril de 1908 – 16 de agosto de 2008) reside no arquivo da Universal Music, companhia fonográfica detentora dos acervos das gravadoras Odeon e Philips.
Contudo, existem cinco registros fonográficos feitos pelo cantor, compositor e violonista baiano na gravadora Columbia, entre 1940 e 1941, que chegaram a ser editados em CD – em coletâneas como a dedicada a Caymmi em 1994 na série Mestres da MPB – mas que permaneciam oficialmente inéditos nos players digitais.
Esse ineditismo acaba em 30 de abril deste ano de 2021. No dia do 107º aniversário de Caymmi, a gravadora Warner Music põe nos aplicativos o EP Dorival Caymmi – Os anos Continental.
Como a Warner é dona do acervo da Continental, o título do EP força a barra ao destacar os “anos” do artista na Continental, mas essa gravadora somente relançou em 1943 os cinco fonogramas de Caymmi editados originalmente pela Columbia, entre 1940 e 1941, em discos de 78 rotações por minuto.
Capa do EP ‘Dorival Caymmi – Os anos Continental’
Divulgação
Dentre esses cinco fonogramas, há os registros originais de três canções praieiras do cancioneiro de Caymmi. Feita em 1940, com acompanhamento da orquestra regida pelo maestro Radamés Gnattali (1906 – 1981), a gravação de O mar reaparece na íntegra no EP, sendo que, no disco original de 78 RPM, o registro ocupou os dois lados do vinil por limitações de espaço do formato.
Na contramão da opulência orquestral recorrente no mercado fonográfico da época, os registros das canções A jangada voltou só e É doce morrer no mar foram feitos em 1941 somente com a voz e o violão de Caymmi.
Por fim, o EP Dorival Caymmi – Os anos Continental traz para as plataformas digitais as gravações originais de duas músicas menos conhecidas do repertório de Caymmi.
Balaio grande é parceria de Caymmi com o poeta e compositor pernambucano Osvaldo Santiago (1902 – 1976). Já Essa nega fulô é rara música gravada por Caymmi sem a assinatura do artista. Trata-se de música feita pelo mesmo Osvaldo Santiago sobre poema de Jorge de Lima (1893 – 1953). Ambas foram gravadas em disco com o toque da orquestra de Benedito Lacerda (1903 – 1958).
O EP Dorival Caymmi – Os anos Continental foi idealizado pelo pesquisador musical Renato Vieira.