Dois raros lêmures-vermelhos nascem no zoológico de Singapura


É a primeira vez em dez anos que um primata, típico de Madagascar, procriou sob os cuidados da instituição; lêmures se acasalam apenas uma vez por ano. Um dos gêmeos de lêmure é clicado com sua mãe, Minnie, em um recinto no Zoológico de Singapura
Divulgação/Wildlife Reserves Singapore/AFP
Dois filhotes de lêmures-vermelhos são os novos moradores do zoológico de Singapura. Nesta quinta-feira (16), anunciou o nascimento desses raros primatas. A espécie Varecia rubra está ameaçada de extinção.
É a primeira vez em dez anos que um espécime deste primata, típico de Madagascar, procriou sob os cuidados da instituição, informaram as autoridades de manutenção da Fauna e Flora de Singapura. Os bebês nasceram no início do ano, mas somente agora foram apresentados ao público.
Lêmures, símbolo de Madagascar, correm risco de extinção
Zoológico de San Diego apresenta filhote raro de lêmure
De acordo com a instituição, a chegada dos gêmeos, que ainda não foram batizados, significa algo “muito especial” porque os primatas se acasalam apenas uma vez por ano.
Filhotes de lêmure gêmeos nasceram no zoológico de Singapura
Divulgação/Wildlife Reserves Singapore/AFP
O último primata desta espécie a nascer no zoológico de Singapura foi Bosco, o pai dos gêmeos, há 11 anos. A mãe, Minnie, de oito anos, veio para Singapura de um zoológico japonês, em 2016.
Embora os gêmeos tenham nascido no início deste ano, eles apenas se tornaram uma atração recentemente, já que o zoológico ficou fechado por meses por causa da pandemia do novo coronavírus.
Os lêmures avermelhados são classificados como ameaçados pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) por causa da exploração da madeira e da caça.
Segundo a entidade, das 107 espécies de lêmures sobreviventes em Madagascar, 103 correm risco de extinção. Do total, 33 delas estão em “perigo crítico”, a pior categoria antes da extinção.