Dois bebês que apresentam infecção por bactéria estão em estado grave, diz HC-UFTM

Hospital informou que eles estão “graves, porém estáveis”. Outros quatro recém-nascidos morreram na UTI Neonatal, na madrugada de terça (20). Os dois bebês que ainda apresentam infecção causada pela bactéria Enterobacter cloacae multissensível estão em estado grave, segundo o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (HC-UFTM). A informação foi repassada no início da tarde desta sexta-feira (23) pela assessoria da instituição à TV Integração.
“Os dois bebês, na presente data, estão classificados como graves, porém estáveis. Com risco de morte”, informou o hospital.
Na madrugada de terça-feira (20), quatro recém-nascidos morreram na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal no HC-UFTM. O resultado dos exames realizados a partir de amostras sanguíneas apontou que os quatro bebês apresentaram crescimento da bactéria Enterobacter cloacae multissensível, que não é uma bactéria multirresistente. As hemoculturas comprovam que não houve contaminação pela bactéria KPC.
Em nota enviada nesta sexta-feira, o Hospital de Clínicas informou que as investigações relativas aos quatro óbitos ainda estão em andamento. “A metodologia de investigação é sigilosa para não comprometer as etapas do processo de apuração. Todas as amostras necessárias já foram coletadas. Os resultados das análises microbiológicas estão, agora, sob responsabilidade das vigilâncias sanitárias municipal e estadual. Quando houver resultado oficial o HC-UFTM será notificado e dará publicidade”, diz trecho da nota.
Na tarde de quinta (22), o HC-UFTM informou que a UTI Neonatal voltou a receber novos pacientes. A entrada de novos pacientes havia sido suspensa na terça-feira, até a estabilização do episódio de infecções.
Procurado pela TV Integração na tarde de quarta-feira (21), o Ministério Público Federal (MPF) informou que já foi notificado e instaurou um procedimento para apurar a situação.

Powered by WPeMatico