Divórcio de Jeff Bezos: As cinco separações mais caras da história


Primeiro lugar da lista é da recente separação entre Jeff Bezos, fundador da Amazon, e a mulher, MacKenzie Bezos, que ficou com US$ 35 bilhões do patrimônio do casal. Jeff Bezos, dono da Amazon
Danny Moloshok/Foto de arquivo/Reuters
Às vezes, o amor custa caro. Especialmente quando ele acaba.
Divórcios de bilionários normalmente ocupam o noticiário de todo o mundo pelas cifras astronômicas que envolvem.
Esse é o caso da separação do homem mais rico do mundo, segundo a revista americana Forbes.
Jeff Bezos, fundador da gigante de tecnologia Amazon, e sua mulher, MacKenzie, decidiram pôr fim ao casamento em janeiro deste ano – ao que tudo indica, de forma amistosa.
Trata-se do divórcio mais caro da história.
Pelos termos do acordo, MacKenzie vai receber em ações o equivalente a 4% da empresa fundada por Bezos em 1994, ou aproximadamente US$ 35 bilhões, tornando-se a quarta mulher mais rica do mundo – e a 23ª pessoa mais rica do mundo. A fortuna de Bezos está avaliada em US$ 136 bilhões (R$ 527 bilhões).
Confira abaixo outros divórcios multimilionários.
Alec e Jocelyn Wildenstein: US$ 3,8 bilhões
Alec era um conhecido empresário e comerciante de arte nascido na França. Jocelyn, uma celebridade nos Estados Unidos, fã de cirurgias plásticas.
Seu gosto por procedimentos estéticos se tornou vício, a tal ponto de ela se tornar conhecida como “mulher-gato”, devido à aparência que seu rosto tomou após vários procedimentos.
Jocelyn decidiu encerrar o casamento de 20 anos, segundo a revista americana Vanity Fair, depois de ter flagrado o marido “com uma loira nua” no quarto do casal.
A Justiça determinou que Alec lhe pagasse US$ 2,5 bilhões, mais US$ 100 milhões por ano pelos 13 anos seguintes (ou US$ 1,3 bilhão).
O divórcio foi um escândalo na época e colocou a família Wildenstein, normalmente avessa à imprensa, sob os holofotes.
Rupert Murdoch e Anna Maria Torv: US$ 1,7 bilhão
Magnata Rupert Murdoch, em imagem de 2009.
Reuters
O casamento do magnata da mídia Rupert Murdoch com a jornalista Anna Maria Torv chegou ao fim em 1999, após 31 anos de união, com um acordo de divórcio de US$ 1,7 bilhão.
Os dois se conheceram quando ela trabalhava no jornal The Daily Telegraph, de Sidney, na Austrália. O casal teve 3 filhos.
Atualmente, a Forbes estima o patrimônio de Murdoch em US$ 18,9 bilhões.
Ele é dono da rede de TV Fox News e dos jornais The Times e The Wall Street Journal.
Murdoch se casou novamente 17 dias após assinar os papéis do divórcio, com Wendi Deng, que trabalhava como executiva em uma das empresas de seu grupo. Teve com ela duas filhas e se separou em 2013. Na ocasião, deu como motivo “diferenças irreconciliáveis”.
Bernie e Slavica Ecclestone: US$ 1,2 bilhão
Bernie Ecclestone, em imagem de 2017
Foto: GloboNews
O divórcio do magnata da Fórmula 1 Bernie Ecclestone vai na direção contrária à dos demais. Quando se separou em 2009, foi ele que recebeu US$ 1,2 bilhão da ex-mulher – mas a história é complexa.
Eles foram casados durante 24 anos e tiveram duas filhas.
Slavica, ex-modelo croata, era beneficiária de um fundo fiduciário constituído com recursos do próprio Ecclestone em um paraíso fiscal. Seria, portanto, uma maneira encontrada pelo empresário para burlar o fisco.
Dmitry Rybolovlev e Elena: US$ 604 milhões
Dmitry Rybolovlev é dono do time de futebol AS Monaco. Ele fez fortuna com a empresa Uralkali, uma das maiores produtoras de fertilizantes da Rússia.
Sua separação poderia ter sido a segunda mais cara da história.
Depois de uma dura batalha legal, que durou um ano, a Justiça suíça determinou que ele pagasse à mulher, Elena, US$ 4,5 bilhões pelos 23 anos de casamento, durante os quais nasceram as duas filhas do casal.
O valor era equivalente à metade do seu patrimônio. Rybolovlev apelou da decisão e o montante foi reduzido para US$ 604 milhões.
Em 2019, ele é a 244ª pessoa mais rica do mundo, segundo a Forbes.