Dilip Kumar, o ‘rei da tragédia’ de Bollywood, morre aos 98 anos


Ator teve uma carreira de meio século e fez 60 filmes. Anúncio de sua morte gerou uma onda de homenagens do mundo do cinema e de autoridades políticas na Índia. Dilip Kumar durante premiação no 54º Festival Internacional de Cinema na Índia, em setembro de 2008. Ator morreu nesta quarta-feira (7), aos 98 anos
REUTERS/B Mathur/File Photo
Dilip Kumar, uma das grandes estrelas de Bollywood, morreu nesta quarta-feira (7), aos 98 anos.
O anúncio de seu falecimento gerou uma onda de homenagens do mundo do cinema e de autoridades políticas na Índia.
Junto com Dev Anand e Raj Kapoor, Kumar foi um dos nomes que dominaram a era de ouro do cinema indiano entre os anos 1940 e 1960. O ator teve uma carreira de meio século e fez 60 filmes.
Conhecido como “o rei da tragédia” por sua bela aparência e voz grave, ele protagonizou alguns dos filmes de maior bilheteria da época na indústria cinematográfica indiana.
Perdeu, no entanto, a oportunidade de alcançar fama mundial, ao rejeitar a oportunidade de interpretar Sherif Ali no clássico de David Lean, de 1962, “Lawrence da Arábia”. O papel foi interpretado por ator egípcio Omar Sharif, pouco conhecido até então.
Kumar costumava citar os grandes nomes de Hollywood Marlon Brando, Gary Cooper e Spencer Tracy como suas influências.
O ator também se envolveu na política, em 1998, e ajudou a resolver uma disputa entre Índia e Paquistão.
Em declaração nesta quarta, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, chamou Kumar de “lenda do cinema”.
Vídeos: personalidades que morreram em 2021