Dia Mundial Sem Carro: trânsito é o vilão da qualidade do ar

Dia Mundial Sem Carro é incentivo para diminuir a poluição do ar nas cidades

Dia Mundial Sem Carro é incentivo para diminuir a poluição do ar nas cidades
Pixabay

O Dia Mundial Sem Carro acontece neste domingo (22) e tem como objetivo conscientizar sobre a relação do uso de veículo com a má qualidade do ar. A data foi criada em 1997 na França e é celebrada em diversos países, inclusive no Brasil. 

Os meios urbanos são responsáveis por cerca de 70% das emissões globais de CO2, segundo dados da ONU Habitat. De acordo com dados do Detran de São Paulo, em abril deste ano a capital paulista tem aproximadamente 9 milhões de veículos automotores, sendo 6,2 milhões automóveis. 

Leia também: Adaptação a mudanças climáticas deve custar trilhões, mas pode gerar ‘lucro’ ainda maior, indica análise

Apesar da imagem de uma chaminé de uma fábrica lançado fumaça na atmosfera ser algo mais impactante do que ver o escapamento de um motor em funcionamento, os carros contribuem muito para uma qualidade do ar ruim.

“Os carros são os principais responsáveis pela poluição nas grandes cidades, devido ao aumento da frota e a piora no trânsito”, explica o gerente do departamento de apoio operacional da CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), Carlos Lacava.

Chaminés de fábricas parecem poluir mais, mas perdem a disputa para os escapamentos

Chaminés de fábricas parecem poluir mais, mas perdem a disputa para os escapamentos
Pixabay

Os dados divulgado em 2017 pela SEEG (Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa), que calcula as emissões brasileiras de gases causadores do aquecimento global, apontam que o transporte foi o principal emissor de poluentes do setor de energia (48%), seguido pelo consumo energético na indústria (15%) e pela geração de eletricidade (14%).

Leia mais: As plantas nativas que desafiaram a urbanização e surgem entre o concreto e o asfalto de São Paulo

“O atual padrão de mobilidade vigente nas cidades, centrado no uso do automóvel, produz efeitos negativos para sociedade, como: violência no trânsito, poluição do ar, elevados níveis de ruído, pressão sobre o uso do espaço urbano escasso e construção de espaços públicos hostis”, afirma o coordenador da área de emissões do IEMA (Instituto de Energia e Meio Ambiente), David Tsai.

Para a professora do Instituto de Geociências da Unicamp e Coordenadora do LEVE (Laboratório de Estudos do Veículo Elétrico) Flávia Consoni, o Dia Mundial Sem Carro tem sua importância na conscientização da população. ” Este é um momento para que as pessoas vivenciem mais a cidade, a paisagem urbana e possam fazer uso de outros meios de mobilidade, como andar a pé, de bicicleta, de patinete e de transporte público”.

Quando se analisa a intensidade de emissões de gases do efeito estufa por passageiro e quilômetros percorrido, automóveis continuam com a maior parcela das emissões (65,8%), motocicletas com 35,6% e ônibus urbano, com 17%.  Isso ocorre porque os ônibus transportam um maior número de pessoas e suas emissões totais são divididas entre todos os ocupantes.

“O Dia Mundial Sem Carro é um ótimo laboratório, adequado para fazer experiência de um dia sem carro, medir emissões e trazer novas impressões e vivencias para as pessoas”, diz professora da Unicamp.