Desmatamento no Amazonas aumenta 71% em setembro


Aumento é em comparação com o mesmo período de 2020 e foi divulgado pelo Sistema de Alerta de Desmatametno (SAD), do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon). Operação contra desmatamento é deflagrada em Humaitá, Sul do AM.
Pelegrine Neto/SSP-AM
O desmatamento no Amazonas aumentou 71% em setembro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados são do Sistema de Alerta de Desmatametno (SAD), do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), e foram divulgados nesta quarta-feira (20).
De acordo com o levantamento apresentado pelo instituto, em setembro de 2020 o desmatamento no estado atingiu uma área de 153 Km². Esse ano a faixa devastada foi de 261Km².
O Imazon também detectou que a floresta perdeu diariamente uma área maior do que 4 mil campos de futebol apenas em setembro. Em todo o mês, foram devastados 1.224 km², o que corresponde ao tamanho da cidade do Rio de Janeiro.
Com isso, o desmatamento no Amazonas corresponde a 21% de toda área devastada na Floresta Amazônica em setembro de 2021. O estado só perde para o Pará, que lidera o cenário, sendo responsável por 39% da devastação da floresta nesse período.
A área com a maior intensidade de desmatamento fica na região Sul do estado, nas fronteiras com o Acre, Rondônia e Mato Grosso.
Segundo o Imazon, setembro é o sexto mês do ano em que a Amazônia teve a maior área destruída na década. Março, abril, maio, julho e agosto também registraram o pior desmatamento desde 2012. Com isso, o acumulado de janeiro a setembro deste ano chegou a 8.939 km², 39% a mais do que no mesmo período em 2020 e o pior índice em 10 anos.
Veja os vídeos mais assistidos do g1 Amazonas