Dennis DJ faz live no Cristo Redentor com funks clássicos: ‘É um sonho, um lugar mágico’


Ao G1, ele comenta repertório voltado para funk das antigas com nova roupagem. Transmissão ao vivo é neste sábado (18), após três meses de planejamento. Dennis DJ faz live no Cristo Redentor: ‘Ideia estava no papel há cerca de três meses’
Divulgação
Dennis DJ vai comandar mais uma live e, desta vez, levará suas pickups para o Corcovado, no Rio de Janeiro. Neste sábado (18), às partir das 15h, Dennis faz uma transmissão online direto do Cristo Redentor.
“É uma ideia que está no papel há cerca de três meses e a equipe que administra o Cristo Redentor foi muito solícita. Não tivemos problemas. Nossa live tem um cunho social. Queremos ajudar a população do Rio e a administração do Santuário deu total apoio”, afirmou o DJ ao G1.
“Escolhemos o Cristo Redentor porque tem tudo a ver com a proposta da live. Contar a história do funk, movimento que surgiu no Rio de Janeiro, e arrecadar doações para instituições sociais da cidade, não teria lugar mais especial. É o lugar perfeito.”
Nascido e criado em Duque de Caxias, baixada fluminense do Rio, Dennis conta que, quando criança, não visitou a atração turística.
“Venho de família humilde, quando criança não tive muita oportunidade de conhecer tantos lugares assim. O Cristo Redentor, até pro carioca, é um sonho né?”
“Quem nunca foi, sempre teve vontade de estar ali. E poder me apresentar em um lugar tão mágico, fazendo o que eu amo e ainda ajudando os outros, é de um sentimento inexplicável.”
No repertório da live, Dennis promete funk das antigas com nova roupagem e diz que vai incluir desde clássicos internacionais até hits que produziu na época em que foi da equipe da Furacão 2000.
“Tem Claudinho e Buchecha, MC Marcinho, Cidinho e Doca, aquelas montagens que a galera ama”, afirma Dennis. Ele contará com a participação de Vitin, da banda Onze:20.
Antes da apresentação, Dennis resolver registrar o momento especial na pele e tatuou o Cristo Redentor junto ao mês e ano de sua live.
Dennis DJ faz tatuagem do Cristo Redentor antes de apresentar live na atração turística
Divulgação
Leia a entrevista de Dennis DJ para o G1.
G1 – Suas lives têm feito sucesso e são sempre aguardadas. Mas, dessa vez é diferente. Você deixa a sua casa e vai pro Cristo Redentor. Como que aconteceu isso?
Dennis DJ – Estou buscando sempre inovar e trazer novidades para o público. Ser o primeiro DJ de funk a fazer uma apresentação no Cristo Redentor é uma honra imensa. O intuito da live é usar do potencial e da visibilidade que temos para arrecadar doações para quem mais precisa. O Cristo já possui uma campanha social que apoia mais de 150 comunidades do Rio e queremos somar força nesse projeto.
G1 – E como tá a expectativa para esse evento? É maior e deve ser uma responsabilidade grande também?
Dennis DJ – Sem dúvidas. O funk é cultura e resistência. O espaço do Cristo Redentor é símbolo de cultura e fé. É uma união muito positiva e de uma responsabilidade sociocultural muito grande.
Dennis DJ faz live no Cristo Redentor: ‘Ideia estava no papel há cerca de três meses’
G1 – O repertório da live vai ter alguma alteração para essa edição? E o tempo de duração?
Dennis DJ – A proposta da live #DennisDasAntigas é contar a história do funk que teve início aqui no Rio de Janeiro. É um repertório muito especial voltado para os clássicos que marcaram toda uma geração.
Teremos muitos sucessos que vão desde os hits internacionais, como Stevie B, Trinere, aos sucessos dos anos 2000. Tem muita produção minha, MC Marcinho, Claudinho e Buchecha, Cidinho e Doca, sem contar as montagens que a galera ama. Deve durar por volta de 3 horas, mas a gente vai sentindo na hora.
G1 – Você começou a fazer as lives meio que se adaptando ao horário das apresentações dos outros artistas. Hoje, você já tem a sua própria programação. A que você atribui tanto o sucesso das suas transmissões?
Dennis DJ – Na real, eu comecei fazendo a live do Baile do Dennis. E quando acabava, mesmo depois de horas, a galera nas redes pedia muito pra continuar. Então surgiu o After do Dennis. Era o after da minha própria apresentação e virou um sucesso.
Além disso, quando aconteciam as lives de sertanejo, acabava a sofrência e minhas redes sociais encheram de comentários da galera pedindo pra fazer o after. Se tornou uma marca que os próprios artistas acabavam pedindo, entraram na brincadeira, como Marília Mendonça, Léo Santana… mas foi muito um pedido do público. Fico feliz que tenha uma repercussão positiva.
G1 – Como estão os planos para lançamento de músicas durante a pandemia?
Dennis DJ – As produções não param, né? Durante a quarentena, já lancei parcerias com Kevin o Chris, outra com Delano e Tainá Costa. Teve Lore Improta, Adriana Calcanhoto… e ainda teremos mais novidades.
G1 – E como está a sua vida com a pandemia? Como você está se organizando com mais tempo em casa… o que mudou na sua rotina?
Dennis DJ – Minha rotina mudou muito, porque não tem mais a correria dos shows. Mas, em compensação, tem as produções, as lives e sempre que posso, tenho curtido muito minha família.