Delegada da Polícia Civil presa na Operação ‘Fênix’ em Uberlândia é liberada


Paula Andressa foi acusada pelo MPMG de falsidade ideológica e corrupção passiva e estava presa deste 19 de dezembro. TJMG considerou que delegada é ré primária. Delegada de Uberlândia, Paula Freitas, estava presa desde 19 de dezembro de 2017
Caroline Aleixo/G1
A delegada da Polícia Civil Paula Andressa de Freitas Mariano, presa em Uberlândia durante a Operação “Fênix” do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), foi solta nesta terça-feira (13) após liberação de desembargadores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).
Ela foi presa no dia 19 de dezembro de 2017 em ação que deteve mais 39 policiais. Deste quantitativo, nove são delegados e Paula é única em liberdade até agora.
Os demais Hamilton Tadeu Lima, que atuava como delegado-chefe do 9º Departamento de Polícia Civil de Uberlândia; a delegada regional de Araguari Mary Simone Reis; os delegados Agenor Soares, de Patrocínio; André Corazza, de Araguari; Matheus Possancini, que trabalhou em Uberlândia e estava atualmente Passos, no Sul de Minas; Samuel Barreto de Souza, de Uberlândia; Vitor Adriano Dantas, de Uberlândia; e Wesley Dutra, de Araxá, no Alto Paranaíba, continuam detidos na Casa de Custódia da Polícia Civil, em Belo Horizonte.
Denúncia
A delegada foi denunciada pelo MPMG por corrupção passiva e falsidade ideológica. De acordo com a sentença, a defesa dela alegou que as acusações foram baseadas apenas em uma delação premiada.
O TJMG considerou que Paula é ré primária e não representa ameaça a ordem pública e econômica. No entanto, a delegada deve ser suspensa das atividades como policial.
Megaoperação
A Operação “Fênix” foi deflagrada pela Promotoria, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Uberlândia, no dia 19 de dezembro de 2017. A megaoperação culminou no cumprimento de cerca de 200 mandados em Minas Gerais, Mato Grosso e Paraná.
No dia 20 de dezembro, a Polícia Civil publicou no Diário Oficial do Estado a dispensa de alguns delegados presos na operação e nomeação dos novos responsáveis pelos departamentos de Uberlândia, Araguari, Patos de Minas e Pouso Alegre.
Uma nova publicação foi feita no dia 27 de dezembro e nomeou o delegado regional de Uberlândia, Edson Rogério de Morais, como novo delegado-chefe do 9º Departamento de Polícia Civil. A função de delegado regional da cidade ficou a cargo de Luís Gustavo Oliveira.
Em 3 de janeiro de 2018 o primeiro policial civil preso na operação foi liberado. Desde então cerca de dez presos, entre investigadores, advogados e o delegado Samuel Barreto, também foram soltos.
No dia 1ª de março, o Gaeco voltou a prender na 3ª fase da operação três denunciados que haviam sido liberados. Entre eles estão um advogado, um investigador e o delegado Samuel Barreto.

Powered by WPeMatico