Crianças cegas ganham brinquedo divertido para aprender braile

Projeto Lego Braile Bricks usa as letras e números do alfabeto Braile

Projeto Lego Braile Bricks usa as letras e números do alfabeto Braile
Edu Garcia/R7

Crianças cegas ou com baixa visão ganham um reforço divertido para a aprendizagem: peças de Lego customizadas em braile. O anúncio foi feito na tarde desta quarta-feira (24) na Fundação Dorina Nowill Dowill com a presença de autoridades e representantes do governo da Dinamarca.

O projeto Lego Braile Bricks é moldado com a mesma quantidade de pontos em relevo usados nas letras e números do alfabeto Braile. Uma forma divertida de alfabetização para as crianças cegas ou com baixa visão.

“Um dia histórico não só no Brasil, mas em todo o mundo, como um marco da educação inclusiva plena, ” avalia Ika Fleury,  presidente do Comitê Braile Bricks da Fundação Dorina Nowill.

Essas peças, com pequenas modificações e que ensinam as crianças brincando,  tem lançamento mundial nesta quarta-feira. O projeto está sendo testado em inglês, dinamarquês, norueguês e português.

A ideia é que a ferramenta também seja utilizada de forma inclusiva, que permita que crianças e adultos sem deficiência possam interagir, que brinquem e aprendam juntos.

Peças com pequenas modificações ensinam as crianças brincando

Peças com pequenas modificações ensinam as crianças brincando
Edu Garcia/R7

“É uma ideia simples e ao mesmo tempo grandiosa, o conceito de inclusão vivenciado na essência, com o Lego é possível interagir independente de deficiência ou não, foi um aprendizado emocionante participar do projeto”, afirmou o professor da Unesp, Klaus Schlüzen.

A Unesp é parceira da Fundação Dorina Nowill no desenvolvimento de uma metodologia que possibilite a educação inclusiva de crianças de 4 a 10 anos. E também na formação dos professores com aulas presenciais e online, para que alcance um maior número de educadores. 

Brinquedo também permita que crianças e adultos sem deficiência possam interagir

Brinquedo também permita que crianças e adultos sem deficiência possam interagir
Edu Garcia/R7

O projeto foi proposto pela primeira vez em 2011 para a Lego Foundation pela Associação Dinamarquesa e novamente em 2017 pela Fundação Dorina Nowill para cegos. A mobilização pelo Lego Bricks for All ganhou repercussão internacional e possibilitou o acordo para a produção das peças.

A versão final deverá ser lançada em 2020 e distribuída gratuitamente para instituições selecionadas.