Cresce de 1 para 4 o número de mortes no trânsito de Itaquaquecetuba em maio, aponta Infosiga

Comparação foi feita com o mês de abril. Mogi das Cruzes e Suzano reduziram estes indicadores de abril para maio. O número de mortes no trânsito de Itaquaquecetuba aumentou consideravelmente em maio, quando comparado a abril de 2018. A evolução foi de uma para quatro vítimas fatais nas ruas da cidade. Os dados são do Programa Movimento Paulista de Segurança no Trânsito (Infosiga).
Na contramão, Mogi das Cruzes e Suzano reduziram os registros de mortes causadas por acidentes de trânsito no período.
Itaquaquecetuba foi a cidade do Alto Tietê que mais reduziu o número de mortes no trânsito nos últimos anos, mesmo depois que ficou sem radares, em 2015.
Entre os casos de maio em Itaquaquecetuba está o de um homem que morreu carbonizado após uma colisão entre moto e carro na madrugada do dia 21. O motorista do carro fugiu sem prestar socorro. Uma outra vítima fatal na cidade também estava em motocicleta. As demais no mês eram pedestres.
A Secretaria Municipal de Transportes de Itaquaquecetuba informou que as vias em que aconteceram os acidentes estão sendo monitoradas. Ações de sinalização para melhoria nas travessias de pedestres também estão sendo feitas.
“A Secretaria alerta que no município, a maioria dos óbitos são indivíduos do sexo masculino nos finais de semana e no período da madrugada. Já solicitamos ao Detran operações com bafômetros para inibir a imprudência e evitar mais óbitos. As campanhas educativas para o trânsito continuarão durante o ano”, informou a nota enviada ao G1.
Mogi das Cruzes
Mogi das Cruzes conseguiu reduzir em maio o número de mortes, na comparação com abril, de 7 para 4. Todos estes acidentes com mortes registrados em maio aconteceram durante o fim de semana e mataram homens. Eles estavam de moto, bicicleta e a pé.
No acumulado do ano, entre as três cidades do Alto Tietê que integram o levantamento do Infosiga, Mogi aparece com o trânsito mais violento: 30 pessoas já perderam a vida nas ruas da cidade.
Suzano
Suzano voltou a reduzir os indicadores de morte no trânsito. De janeiro a março não houve mortes nas ruas da cidade, mas em abril foram quatro vítimas fatais. Os dados mais recentes do Infosiga apontam para dois registros.
As duas vítimas na cidade eram do sexo masculinho e tinham entre 40 e 44 anos. Um dirigia um carro e o outro guiava uma bicicleta.