Conheça as causas da retenção de líquido no corpo e como evitá-la

A retenção de líquidos é um problema que causa acúmulo de fluidos no corpo. Segundo o ginecologista Rodrigo Borsari, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, a retenção líquida pode ocorrer dentro dos vasos sanguíneos, nos órgãos, dentro das células ou entre elas, provocando inchaço e até alterações no peso

A retenção de líquidos pode ser causada por conta de alguns problemas, como insuficiência dos vasos sanguíneos, coágulos, que geram a trombose, uso de medicamentos para diabetes tipo 2 e para hipertensão, algumas doenças cardíacas, hepatite, cirrose e insuficiência renal. O ginecologista afirma que, ao chegar ao hospital, os médicos devem avaliar todas essas condições, que são mais graves, embora menos frequentes, para recomendar o tratamento correto para a causa do acúmulo de líquidos

Durante o período menstrual, há uma retenção de líquidos maior. De acordo com Borsari, isso se dá pelo aumento da progesterona, hormônio feminino que facilita a gestação, aumentando a quantidade de líquido entre as células. Dessa forma, no período pré-menstrual, as mulheres sentem mais inchaço nas pernas, região abdominal, nos seios, braços, mãos e face. Esses sinais seriam mais evidentes ainda durante a gravidez, período em que há maior produção de progesterona pelo organismo

O uso de alguns anticoncepcionais também está atrelado à retenção líquida. De acordo com o ginecologista, por conta da progesterona, anticoncepcionais que agem de maneira sistêmica, como algumas pílulas anticoncepcionais, implantes e anticoncepcionais injetáveis, estão mais associados ao acúmulo de líquidos. Caso a mulher sinta esses efeitos, ela deve conversar com seu médico para que ele apresente outras opções de método

O consumo excessivo de sal também pode causar retenção líquida. O ginecologista afirma que a transição da água pelo corpo pode variar e a concentração excessiva de sal puxaria o líquido para aquele local em que estiver, diminuindo a eliminação de água pelo organismo

Temperaturas elevadas também podem favorecer a retenção líquida. Isso porque, com o calor, há uma maior dilatação dos vasos sanguíneos, facilitando o extravasamento de líquidos para fora dos vasos e causando mais inchaço. Entre os locais mais acometidos por retenções líquidas devido ao calor são os pés e as pernas

Uma das formas de reconhecer se você tem retenção de líquidos é pressionar a área do corpo inchada. Segundo o médico, ao pressionar o dedão contra a pele, se ela afundar e demorar para voltar à posição anterior, ou deixar uma marca que demora alguns segundos para desaparecer, isso é indício de retenção de líquidos. Outro sinal comum são marcas deixadas por meias e elásticos ao apertarem a pele 

Nos casos de retenção líquida ocasionada por problemas graves, o tratamento é feito com remédios para a causa do problema associados a medicamentos diuréticos recomendados pelo médico. Os diuréticos são medicamentos que ajudam a eliminar o excesso de líquido mas, segundo o ginecologista, algumas pessoas fazem uso indevido do remédio com o intuito de emagrecer, podendo ser mais perigoso do que a retenção líquida, eliminando substâncias e sais minerais necessários para o corpo

Para minimizar a retenção líquida, seja pela variação hormonal ou pela alimentação, Borsari afirma que o melhor método a ser recorrido são as atividades aeróbicas, como a caminhada ou a corrida, por pelo menos 40 minutos e três vezes por semana. A atividade física ajuda a eliminar o excesso de líquido por meio da transpiração e, com a atividade muscular, há um consumo maior desses líquidos pelo corpo

A redução do consumo de sal e aumento da ingestão de água e chás, como o de camomila, que possui ação anti-inflamatória e antioxidante, além de frutas cítricas, como laranja, limão e melancia, também ajuda na ação diurética, eliminando os líquidos que estão em excesso no corpo. Entretanto, pacientes que tenham doenças mais graves, as orientações podem ser diferentes, com restrição da ingestão de água e de alguns alimentos

*Estagiária do R7 sob supervisão de Deborah Giannini