Confira seis dicas para programar uma viagem de  intercâmbio  

Conhecer novas
culturas e acumular experiências valiosas para o mercado de trabalho são
objetivos frequentemente buscados por alunos que se aventuram em um intercâmbio
no exterior. A oportunidade é incrível, mas também é necessário muito planejamento
e preparação para evitar imprevistos e tornar a viagem uma experiência positiva
e inesquecível. Eloiza Lira, da Assessoria de Relações
Internacionais do Centro Paula Souza, dá algumas dicas para o estudante se dar bem no intercâmbio:

1. Escolha
bem o seu destino:

Prefere
clima frio ou quente? Fala quais idiomas? Tem dificuldades para se adaptar a
costumes muito diferentes dos seus? As respostas a essas perguntas podem ajudar a garantir a escolha do melhor destino para seu intercâmbio.

O conhecimento
da língua do país para o qual o aluno deseja ir é algo a ser considerado, uma
vez que, se o intercambista não tiver pelo menos o nível intermediário no
idioma, pode enfrentar dificuldades para acompanhar as aulas. Após escolher o
país, o estudante também deve pesquisar os cursos e disciplinas oferecidas
pelas instituições de ensino.

Por fim, para
saber um pouco mais sobre as tradições e cultura local

2. Quanto
antes, melhor:

Comece a se
planejar com antecedência,  de seis meses a um ano antes da viagem. Isso é
necessário não apenas para garantir que haverá tempo para obter documentações,
mas para que o aluno tenha tempo de poupar e planejar as finanças antes de
viver essa aventura

3. Planejamento
financeiro:

Os custos
devem ser considerados durante todo o processo de planejamento, tanto na hora
de escolher o país e a cidade de destino quanto para definir o tipo de
intercâmbio, uma vez que alguns modelos oferecem bolsa e ajuda de custo e
outros não. “A conta deve considerar não apenas o valor da viagem em si,
mas quanto o estudante precisará desembolsar para obter o visto e outras
documentações necessárias, roupas específicas para o clima do local, seguro de
viagem e de saúde, entre outras necessidades”, explica Eloiza.

O
viajante também deve avaliar a escolha de mais de uma maneira para realizar
operações financeiras, para evitar dores de cabeça no caso de perda ou roubo de
cartões de crédito ou pré-pagos

4.Documentos
em dia:
 O primeiro
passo é correr atrás do passaporte. Mesmo que a escolha seja viajar para países
do Mercosul, que não exigem esse documento, o número do passaporte poderá ser
necessário para que a instituição de destino elabore sua carta de aceitação. A
próxima etapa é verificar como obter o visto de entrada e quanto tempo ele
demora para ser emitido.

Outro passo
essencial é a elaboração de um plano de estudos, no caso de intercâmbio
acadêmico, para definir quais disciplinas serão cursadas, equivalência de
créditos e outras informações específicas exigidas por sua faculdade e pela
instituição de destino.

Não se esqueça
também de fazer um seguro de saúde e um de viagem. Eles serão essenciais para
garantir atendimento médico, assessoria jurídica, repatriação e apoio em caso
de perda de bagagem

5.Processo
seletivo:

Fique de olho nas
oportunidades de intercâmbio de acordo com sua área de conhecimento, país
e universidade desejados. “O estudante pode fazer um semestre ou um ano no
exterior no intercâmbio acadêmico, mas também pode optar por realizar um
intercâmbio de idiomas, em um período menor, de três ou quatro semanas”,
afirma a especialista

6.Determinação:

Depois do
planejamento, chega a hora de partir. O aluno precisa ter a
segurança e a determinação necessárias para viver em uma cultura diferente,
longe da família e amigos, absorvendo uma nova cultura e conhecendo novos
lugares. A princípio pode parecer algo assustador, mas a experiência pode ser
enriquecedora para a vida acadêmica, profissional e pessoal