Companhia aérea da Coreia do Sul não vai mais servir amendoins após impedir embarque de jovem alérgico


Adolescente de 16 anos que viajava dos EUA às Filipinas ficou retido em Seul por risco de contaminação. Empresa tem histórico de problemas com petiscos. Avião da empresa sul-coreana Korean Air pousa no aeroporto internacional de Incheon
AFP
A companhia aérea Korean Air, da Coreia do Sul, anunciou neste domingo (31) que parou de servir amendoins aos passageiros após um imbróglio envolvendo um adolescente de 16 anos alérgico ao salgadinho, segundo a agência Reuters.
Por causa da alergia, o rapaz solicitou à empresa coreana que não servisse amendoim na viagem que faziam entre os Estados Unidos e as Filipinas. A companhia recusou o pedido, e, por isso, ele e um irmão de 15 anos ficaram retidos na conexão em Seul, capital da Coreia do Sul.
Amendoim
Anderson Barbosa/G1
De acordo com o jornal “USA Today”, os dois adolescentes foram impedidos de embarcar porque os funcionários da Korean Air em Seul disseram que havia risco de contaminação – ainda que o garoto alérgico não consumisse do produto. Ambos os irmãos voaram de volta para Atlanta.
Após a repercussão do caso, a companhia sul-coreana simplesmente decidiu não mais oferecer amendoins. “A decisão é uma medida de segurança mínima para os passageiros alérgicos a amendoins”, diz nota enviada pela empresa à agência Reuters.
Petisco da discórdia
A ex-vice-presidente da Korean Air, Cho Hyun-ah, deixa tribunal em Seul nesta sexta-feira (22) após ter sua soltura determinada
Lee Jin-man/AP
Não é a primeira vez que a Korean Air tem problemas com petiscos do tipo.
Em 2014, no episódio conhecido como a “fúria das nozes”, a ex-vice-presidente da companhia aérea Cho Hyun-ah se irritou quando uma comissária lhe serviu mal uma porção de nozes, macadâmias e amendoins no principal aeroporto de Nova York. A executiva teve um acesso de fúria e ordenou a parada da aeronave com 250 passageiros para que expulsasse a profissional.
Cho foi condenada a 1 ano de prisão por colocar em risco a segurança do avião. Além disso, a ex-vice-presidente da Korean Air foi processada pela comissária pelas agressões verbais.