Como o forró transforma funções do Instagram em hits: ‘Storiezin’, ‘Block nele’, ‘Superação digital’…


G1 faz ‘guia do Instagram segundo os sucessos do forró’ e explica por que todos os astros da pisadinha têm músicas que usam dinâmica de stories, visualizações, bloqueio, curtidas… Da esquerda, acima: Rodrigo Barão, Felipe Barão, Zé Vaqueiro, João Gomes, Tarcísio do Acordeon, Biu do Piseiro, Nattan e Vittor Fernandes, novos astros do forró pisadinha
Divulgação
Uma pessoa que nunca entrou no Instagram é capaz de aprender tudo sobre as funções e a etiqueta da rede só ouvindo sucessos atuais do forró. A ponte entre os stories e a DM, o drama do bloqueio, a falsa felicidade… Está tudo em hits de Nattan, João Gomes, Zé Vaqueiro e outros forrozeiros.
A pisadinha virou o ritmo mais ouvido no Brasil e superou até o sertanejo com arranjos cativantes de forró de teclado. Mas o segredo não é só o som simples. As letras sobre o dia a dia também aproximam o estilo do ouvinte. O romance via Instagram é uma grande parte desse cotidiano.
O G1 montou abaixo um tutorial de Instagram de acordo com sucessos recentes do novo forró:
Tutorial de instagram forrozeiro
Daniel Ivanaskas / G1
Do MSN ao ‘cutuca no Face’
A transformação da modinha digital em modão popular não é novidade. Em 2011, o G1 já contava como os memes da época viravam hits do “sertanejo pegação”, a grande onda da época.
No auge do forró eletrônico da década de 90 e início dos 2000, as bandas também usavam a tecnologia da época para falar de amor. “O forró sempre teve a prática de pegar a realidade da população e transformar em canção”, diz Junior Vidal, coordenador do site Sua Música.
Junior lembra “Namorando por computador”, do Cavalo de Pau, ainda na era dos chats no desktop, e o refrão “Eu vou te deletar, te excluir do meu Orkut / Vou te bloquear do meu MSN”, gravado com sucesso pelos Aviões do Forró.
Um recurso que já foi forte na paquera virtual, mas hoje está obsoleto, foi o “Cutuca no Facebook”, que virou hit forrozeiro do Rabo de Vaca, também lembra Junior.
O som da rotina
“Quando escrevo uma música, a primeira coisa que tento pensar é: de que forma ela vai se encaixar no dia a dia das pessoas?”, ensina o cantor e compositor cearense Renno Poeta.
Entre os hits digitais de Renno estão “Saudade Teimosa”, de Wesley Safadão (“Te bloqueei, desbloqueei / Já te exclui, te adicionei / Eu te ganhei, eu te perdi / Mas eu nunca te esqueci”) e “Online sem resposta”, de Gusttavo Lima.
“Como escrevo baseado em vidas, fatos, saudades e sofrimentos reais, preciso ter elementos na rotina das pessoas. Esse mundo digital chega com muita clareza a elas, porque já se apropriaram da linguagem. Fazendo parte da vida das pessoas, faz parte da nossa”, diz o autor.
O compositor paraibano Shylton Fernandes fez em 2019 a citação musical mais pop ao stories do Brasil até hoje: “Recairei”, dos Barões da Pisadinha (“Já tem uma semana que eu ‘to limpo de você / De olhar os seus stories não sinto saudades / Zero curtidas, zero vontade de te ver….”)
A explicação é simples como um refrão do piseiro: “Essa é a realidade das pessoas. Minhas músicas falam do cotidiano, temas atuais”. O trabalho de Shylton, que vibra ao ter vários hits dançados por Neymar, lembra um olheiro de futebol ou consultor digital: “Sou muito atento ao que está rolando no mundo! É aí que o público se identifica.”
Introduções das músicas dos Barões são todas idênticas; confira