Cineasta francesa Audrey Diwan vence Leão de Ouro em Veneza com filme sobre o aborto


‘L’Evénement’ (‘O Evento’) conta a história de uma estudante que engravida e busca uma forma de fazer um aborto, um crime na França dos anos 1960. Cineasta francesa Audrey Diwan ganhou o Leão de Ouro em Veneza
Reuters/Yara Nardi
A cineasta francesa Audrey Diwan ganhou o Leão de Ouro no Festival de Cinema de Veneza neste sábado (11) com o filme “L’Evénement” (“O Evento”), uma história chocante e crua sobre um aborto clandestino na década de 1960.
“Foi difícil fazer esse filme. Infelizmente sabemos que o que contamos ainda acontece no mundo”, declarou emocionada a diretora ao receber o maior prêmio do festival.
Baseado no romance homônimo da francesa Annie Ernaux, o filme conta uma história feminina e universal, a de Anne, uma estudante que engravida e busca uma forma de fazer um aborto, um crime na França dos anos 1960.
Como ainda acontece com milhares de mulheres em países onde o aborto não foi legalizado, médicos, amigos, o próprio namorado e professores acabam por não ajudá-la.
Com uma longa e contundente sequência durante a qual Anne faz um aborto, o filme é muito realista ao descrever esse calvário com imagens que mesclam intimidade e cotidiano, desespero e sofrimento, tudo ao ritmo das semanas de gestação.
Diwan, 41 anos, de origem libanesa, que trabalhou como jornalista e roteirista, é membro do Collectif 50/50, ONG francesa que promove a igualdade entre homens e mulheres na indústria cinematográfica.
“L’Evénement” é protagonizado pela atriz franco-romena Anamaria Vartolomei, a quem Diwan agradeceu publicamente por aceitar o peso de um filme tão forte.
Diwan se tornou a quarta mulher a ganhar o cobiçado prêmio veneziano nos últimos 21 anos, se juntando a nomes como Mira Nair, Sofia Coppola e a vencedora do ano passado Chloé Zhao, que também ganhou o Oscar por “Nomadland”.