Chuvas e inundações deixam 19 mortos na Alemanha e 2 na Bélgica


Fortes enchentes transformaram ruas em rios com correntezas violentas, que ‘varreram’ carros, arrancaram árvores e derrubaram casas. Mais de 50 pessoas estão desaparecidas na Alemanha. Devastação causada pela enchente do rio Ahr, na aldeia Eifel de Schuld, no oeste da Alemanha. Foto tirada com um drone em 15 de julho de 2021.
Christoph Reichwein/DPA via AP
Ao menos 19 pessoas morreram e mais de 50 estão desaparecidas devido às fortes chuvas e inundações no oeste da Alemanha. Outras 2 morreram na Bélgica.
As fortes enchentes transformaram ruas em rios com correntezas violentas, que “varreram” carros, arrancaram árvores e causaram o desabamento de alguns prédios (veja nas imagens abaixo).
Oito mortes foram registradas no condado de Euskirchen. No de Ahrweiler, quatro pessoas morreram e que cerca de 50 ficaram presas nos telhados de suas casas aguardando resgate.
Casas desabaram e foram arrastadas pelas águas na aldeia de Schuld, onde muitas pessoas estão desaparecidas e quatro mortes já foram confirmadas.
Outras duas pessoas morreram em porões inundados nas proximidades de Solingen e Unna. A polícia relatou outra morte no município de Rheinbach.
Casas submersas pelas águas de rio que transbordou em Erdorf, na Alemanha, em 15 de julho de 2021. Chuvas contínuas inundaram várias vilas no sudoeste do país.
Harald Tittel/DPA via AP
Carro coberto em Hagen, na Alemanha, com destroços arrastados pela enchente do rio Nahma em 15 de julho de 2021. Fortes chuvas transformaram o pequeno rio em uma torrente violenta.
Roberto Pfeil/DPA via AP
Trabalhos de resgate
Socorristas tentam evacuar pessoas que subiram nos telhados para se protegerem das chuvas, e dois bombeiros morreram durante os trabalhos de resgate nas cidades de Altena e Wedohl.
Os serviços de emergência abriram uma linha telefônica para coletar informações sobre os desaparecidos e pediram aos moradores que enviem vídeos e fotos que possam ajudá-los na busca.
As autoridades locais também pediram aos afetados que fiquem em casa e, se for possível, nos andares mais altos de seus edifícios.
Morador da vila de Balken observa as águas da enchente do rio Wupper, em Leichlingen, na Alemanha, em 14 de julho de 2021
Roberto Pfeil/DPA via AP
Em Wuppertal, autoridades alertam que uma barragem ameaçava estourar.
No condado de Rhine-Sieg, ao sul de Colônia, a polícia ordenaram a evacuação de vários vilarejos abaixo do reservatório Steinbachtal, em meio a temores de que a barragem também pudesse romper.
Inundações na Bélgica
Homem caminha perto de carros danificados pela água em rua inundada em Mery, na província de Liege, na Bélgica, em 14 de julho de 2021
Valentin Bianchi/AP
Na Bélgica, chuvas constantes durante a noite pioraram as inundações no leste do país, onde uma pessoa morreu afogada e outra está desaparecida.
A segunda morte foi no leste de Eupen, na fronteira com a Alemanha.
Algumas cidades viram o nível dos rios subir a patamares sem precedentes e as ruas se transformaram em rios.
As principais rodovias no sul e no leste do país foram inundadas, e o serviço ferroviário interrompeu todo o tráfego.
Em Liege, a principal cidade do leste da Bélgica, o rio Meuse pode transbordar no início da tarde e invadir o “coração” da cidade. A polícia alertou os cidadãos para tomarem medidas de precaução.
Lojista observa enchente criar “rio” na principal rua do centro de Spa, na Bélgica, em 14 de julho de 2021
Valentin Bianchi/AP
Carros danificados em rua inundada em Mery, na província de Liege, na Bélgica, em 14 de julho de 2021
Valentin Bianchi/AP
E na Holanda, na França…
No sul da Holanda, perto das fronteiras com a Alemanha e a Bélgica, autoridades da cidade de Valkenburg evacuaram uma casa de repouso e um hospício durante a noite.
Uma enchente também transformou a rua principal da cidade turística em um rio.
O governo holandês enviou cerca de 70 soldados à província de Limburg na noite de quarta-feira (14). Não há relatos de feridos ou mortos relacionados a enchentes na Holanda até o momento.
Chuvas excepcionalmente intensas também inundaram uma parte do nordeste da França nesta semana, derrubando árvores e forçando o fechamento de dezenas de estradas.
Uma rota de trem para Luxemburgo foi interrompida e os bombeiros evacuaram dezenas de pessoas de casas perto da fronteira com Luxemburgo e Alemanha e na região de Marne.
O equivalente a dois meses de chuva caiu em algumas áreas nos últimos um ou dois dias, segundo o serviço nacional de meteorologia da França
O serviço meteorológico francês prevê mais chuvas nesta quinta-feira (15) e divulgou alertas de inundação para 10 regiões.
VÍDEOS: as últimas notícias internacionais