Chuva causa alagamentos e transtornos em cidades da Zona da Mata


Prefeitura de Ubá decretou Situação de Emergência; Rio Muriaé subiu mais de três metros. Em Eugenópolis, ruas afetadas por alagamento passam por limpeza. Prefeitura de Ubá decreta situação de emergência na cidade após danos causados por chuva
A chuva que atingiu cidades da Zona da Mata durante o final de semana causou transtornos. Ubá, Eugenópolis, Muriaé e Juiz de Fora registraram alagamentos, quedas de barreiras e interdição de imóveis. Não houve nenhuma vítima fatal.
Em Ubá, o prefeito Edson Teixeira Filho decretou situação de emergência neste domingo (11). De acordo com o levantamento da Prefeitura, 10 mil pessoas foram diretamente atingidas pelas chuvas. Uma família está desabrigada e foi encaminhada para a Casa Cidadã. Outras 130 famílias ficaram desalojadas e perderam cerca de 80% dos bens pessoais.
Já em Juiz de Fora, a chuva que caiu na noite de sábado (10) é considerada pela Prefeitura a maior dos últimos anos. Foram registrados 59 chamados até a tarde deste domingo.
O rio que dá noma à cidade de Muriaé chegou a 3,49 metros na madrugada desta segunda-feira (12). Foi o índice mais alto registrado em 2018.
Em Eugenópolis, a semana começa com a sequência da limpeza de ruas afetadas pela enchente ds rios Gavião e Lambari na sexta-feira (9).
Bairros de Ubá, na Zona da Mata, tiveram estragos registrados por causa da chuva
Reprodução/TV Integração
Ubá
Pelo menos cinco casas e um estabelecimento comercial foram interditados por risco de desabamento, desabamento de encostas ou muros e alagamentos nos bairros Waldemar de Castro, Pires da Luz e Santa Edwiges e também na Avenida Juscelino kubitschek.
Na área urbana, pontes nos bairros Dico Teixeira e Industrial foram interditadas. Já na zona rural, duas pontes de madeira foram arrastadas pela enxurrada: uma no Bairro Aeroporto, na antiga estrada de Guidoval, e outra no Bairro Santa Rosa, conhecida como ponte de acesso à Zoeira. Outras pontes e ruas sofreram avarias e foram sinalizadas.
Os distritos de Diamante, Miragaia e Ubari também tiveram avarias e são avaiados.
Por causa dos transtornos no acesso a diversas localidades e da necessidade de limpeza em alguns prédios, as aulas na Rede Municipal de Ensino foram suspensas nesta segunda e serão retomadas na terça-feira (13). As creches funcionarão normalmente. Os Jogos Escolares Ubaenses (Jeus), que começariam nesta segunda, foram adiados.
A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) informou que as duas Estações de Tratamento de Água – Miragaia e Peixoto Filho – foram religadas e a previsão é que o abastecimento seja normalizado em toda a cidade até a manhã desta segunda.
Está em andamento uma campanha para arrecadação, principalmente de materiais de limpeza, alimentos e água. As doações podem ser entregues no Fórum Cultural, que fica na Praça São Januário.
Rua Lúcio Bittencourt no Bairro Industrial em Juiz de Fora
Raul Mourão/Arquivo Pessoal
Juiz de Fora
A chuva de sábado em Juiz de Fora foi considerada a maior dos últimos anos pela Prefeitura. Até a tarde de domingo, foram registrados 59 chamados pela Defesa Civil – 20 na região Sudeste, 13 na Norte, 11 na Leste, oito na Nordeste, quatro na Oeste, duas no Centro e uma na Sul.
As solicitações foram relacionadas a deslizamentos de taludes, ameaças de deslizamentos de taludes, trincas em piso, ameaças de queda de árvore, infiltração em piso, enxurradas, alagamentos, rua danificada e queda de árvore.
Houve escorregamentos de barranco nos seguintes locais: Rua Henrique Dias, Nova Benfica; Rua Eurico de Melo, e na Rua Bárbara Campagnacci Borboni, Aracy, ambas no Aracy; e na Rua Domingos Del Duca, no Nossa Senhora de Lourdes. Na parte da tarde, entraram pedidos das Ruas Pedro Trogo e Francisco Pereira, ambas no Santo Antônio; e na Rua Angelino Beligoli, no Filgueiras.
Pontos de alagamentos foram registrados nos bairros Industrial, Santa Luzia, Filgueiras, Nova Era, Santo Antônio, Democrata, Mariano Procópio, Terras Altas, Jardim Esperança, Linhares, e Granbery.
Equipes do Departamento de Limpeza Urbana (Demlurb) realizaram a limpeza da barreira que caiu nos bairros Borboleta e no São Pedro. Foi feita lavação e recolhimento de materiais nas vias danificadas no Bairro Jardim Esperança e, nas ruas centrais, foi efetuada a varrição e retirada do barro.
De acordo com a Companhia Municipal de Saneamento (Cesama), duas elevatórias de água foram atingidas pelas chuvas e paralisaram fornecimento. A elevatória do bairro Democrata foi inundada e foi necessário substituir o motor da unidade. Na elevatória do JK, entrou água no quadro elétrico de comando da bomba.
Cheia do Rio Muriaé atingiu bairros ribeirinhos em Muriaé neste fim de semana
Prefeitura de Muriaé/Divulgação
Muriaé
De acordo com a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil (Compdec), o nível do Rio Muriaé chegou a 3,49 metros durante a madrugada desta segunda (12), por causa das águas vindas de outras cidades.
Por conta disso, houve alagamentos em ruas dos bairros José Cirilo e Santana. De acordo com a Defesa Civil, os moradores foram avisados durante a manhã de domingo (11) sobre os riscos e conseguiram prevenir os prejuízos. Na manhã desta segunda as equipes farão vistorias em diversos pontos da cidade.
As famílias atingidas são cadastradas e moradores atingidos podem procurar o salão da Igreja Católica do Bairro Patrimônio, onde há o atendimento do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Aeroporto e a Escola Municipal Professora Odaleia Oliveira Morais de Azevedo, no Bairro Barra.
De acordo com a medição dos 14 pluviômetros e da estação hidrológica do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), instalados em diversos pontos da cidade, a média de chuva registrada nas últimas 72 horas foi de 54,28 milímetros. Desde o dia 1º de março, o total foi de 150,44 milímetros.
Um dos bairros mais afetados foi o Bairro Barra que, nas últimas 72h, registrou 108,48 milímetros de chuva e tem acumulado no mês 263 milímetros. Já no Centro, o acumulado dos 12 dias de março chegou a 232,60 milímetros.
De acordo com dados da estação automática do 5º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), em Muriáe entre a noite de sábado e a manhã de domingo, foram registrados 101,8 milímetros de chuva. O pico foi o registro de 32,2 milímetros em uma hora.
Rio Muriaé chegou a 3,49 metros na madrugada de segunda (12). De acordo com monitoramento, nesta manhã, volume registra queda do volume de 7 centímetros por hora.
Prefeitura de Muriaé/Divulgação
Eugenópolis
Nesta segunda-feira (12), ainda seguem os trabalhos de limpeza e retirada de entulhos das ruas que foram algadas após a cheia dos rios Gavião e Lambari na sexta (9).
De acordo com a assessoria do Executivo, servidores das secretarias de Saúde e de Assistência Social começaram a visitar casas das pessoas afetadas para o levantamento das providências necessárias.
Quatro bairros e a região central foram alagados na manhã de sexta. O abastecimento de água e de energia foi restabelecido no fim de semana.
Bombeiros, PM e Defesa Civil estão atendendo moradores de áreas afetadas em Eugenópolis
Silvan Alves/Silvan Alves

Powered by WPeMatico