Celular é o item eletrônico mais esquecido no metrô de São Paulo

Metrô registra quase 30 aparelhos celulares esquecidos por semana

Metrô registra quase 30 aparelhos celulares esquecidos por semana
Metro de São Paulo

O Metrô de São Paulo recebeu e cadastrou 8,6 mil objetos encontrados nas estações e vagões de trem. Entre os itens eletrônicos, os celulares ocupam a primeira posição no ranking de achados e perdidos.

Segundo levantamento obtido pelo R7, os usuários do metrô esqueceram 1.233 celulares de 1º janeiro até 31 de outubro deste ano. O número de ocorrências é 13% maior em comparação com 2018. 

O índice de devolução de celulares é alto assim como a frequência com que são perdidos. De acordo com informações do Metrô, 722 aparelhos retornaram aos seus donos, o equivalente a 58% dos casos registrados.

Todos os objetos são cadastrados

Todos os objetos são cadastrados
Metrô de São Paulo

Os pen drives ocupam a 2ª posição do ranking de eletrônicos. Foram registrados um total de 115 casos. Em 2019, os funcionários do Metrô receberam também 25 máquinas de cartão de crédito, 24 caixas de som, 16 tablets e 10 computadores. 

No ranking geral de achados e perdidos do Metrô, os cartões bancários e as carteirinhas escolares são os mais esquecidos, com 19.429 casos. Na 2ª posição estão os Bilhetes Únicos da SPTrans com 14.590 registros. Os documentos pessoais aparecem na sequência, com 8.348 RGs e 2.495 CNHs.

A linha vermelha concentra o maior número de objetos perdidos. Segundo o Metrô, isso acontece porque é a linha com a demanda mais elevada, quase 1,5 milhão de passageiros por dia. A estação Palmeiras-Barra Funda, que está na linha vermelha, é o local onde são registrados mais objetos perdidos. 

Nas semanas que antecedem as festas de fim de ano, os itens relacionados com o Natal e com o Ano-Novo entram para a lista dos esquecidos pelos usuários.

“As pessoas estão mais descontraídas, cheias de pacotes e sacolas e acabam esquecendo sacolas, vinhos, panetones e até champanhes”, diz o coordenador operacional da linha 3 – vermelha do metrô, Paulo Santos.

Paulo afirma que os dias de chuva também são bem movimentados por conta dos guarda-chuvas que são esquecidos. São pelo menos 70 perdidos cada vez que o céu escurece na capital. 

O que fazer?

O Metrô orieta que o objeto encontrado deve ser entregue para um funcionário da estação. Assim, o item é registrado no banco de dados de achados e perdidos. 

Dono precisa comprovar propriedade do bem para fazer a retirada no achados e perdidos

Dono precisa comprovar propriedade do bem para fazer a retirada no achados e perdidos
Metrô de São Paulo

Todos os objetos recolhidos nas estações das linhas 1, 2, 3 e 5, operadas pelo Metrô, e da Linha 4-Amarela, que é operada pela ViaQuatro, são encaminhados para a Sé e permanecem no local para devolução por 60 dias.

“Para retirar algum objeto dos achados e perdidos, é necessário que a pessoa comprove a propriedade do bem. O usuário pode indicar algum detalhe particular ou pode usar uma senha, um número de contato ou até mesmo uma foto salva no celular”, explica Paulo.

Leia também:

AirPods Pro são vendidos em versão de ouro 18 quilates por R$ 284 mil