Ônibus de ‘Na natureza selvagem’ é retirado de parque do Alasca por colocar turistas em perigo


Entre 2009 e 2017, foram realizadas 15 operações de resgate relacionadas ao ônibus, informou o Departamento de Recursos Naturais. Helicóptero carrega ônibus que ficou famoso no livro e no filme ‘Na natureza selvagem’ sobre o Parque Nacional de Denali, no Alasca
Seth Lacount/Guarda Nacional do Exército do Alasca/AFP
Um helicóptero militar americano removeu de uma área remota do Alasca um ônibus verde e branco dos anos 1940 que havia se tornado uma atração perigosa para excursionistas.
O chamado Magic Bus, o Fairbanks Bus 142, apareceu no livro “Na natureza selvagem” (1996), de Jon Krakauer, e no filme dirigido por Sean Penn em 2007.
As obras contam a história do jovem aventureiro Chris McCandless, que passou o verão de 1992 no ônibus e morreu de fome após 114 dias.
Abandonado nos confins do Parque Nacional Denali, perto de Healy, o ônibus atraiu aventureiros ao longo dos anos, alguns dos quais tivereram que ser resgatados no meio do nada.
Emile Hirsch em cena de ‘Na natureza selvagem’
Divulgação
Um helicóptero CH-47 Chinook da Guarda Nacional do Exército do Alasca içou o ônibus nesta quinta-feira (18), em coordenação com o Departamento de Recursos Naturais do estado, devido à preocupação com a segurança pública, informou a corporação.
“Depois de estudar o assunto, colocar vários fatores na balança e considerar várias alternativas, decidimos que o melhor seria remover o ônibus”, disse a comissária do departamento, Corri Feige.
Entre 2009 e 2017, foram realizadas 15 operações de resgate relacionadas ao ônibus, informou o Departamento de Recursos Naturais. Segundo Corri, o veículo ficará em um local seguro, até que autoridades decidam o que fazer com ele. Uma das possibilidades é colocá-lo em exposição.
Helicóptero se aproxima de ônibus que ficou famoso no livro e no filme ‘Na natureza selvagem’ sobre o Parque Nacional de Denali, no Alasca
Seth Lacount/Guarda Nacional do Exército do Alasca/AFP
Helicóptero levanta ônibus que ficou famoso no livro e no filme ‘Na natureza selvagem’ sobre o Parque Nacional de Denali, no Alasca
Seth Lacount/Guarda Nacional do Exército do Alasca/AFP

Please enter banners and links.

Pesquisadores da UFJF desenvolvem ventilador pulmonar para tratar Covid-19


Projeto está em fase de testes de desenvolvimento e elaboração de design; veja como funciona. Universidade Federal de Juiz de Fora
Clara Downey/UFJF
Pesquisadores da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) desenvolvem um modelo de ventilador mecânico específico para a Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (ARDS), que acomete pacientes com a Covid-19 em estado moderado e grave.
O Ventilador Mecânico Eletropneumático Simples (VMEPS), como foi denominado, foi desenvolvido por uma equipe da UFJF em parceria com profissionais de instituições de ensino e de saúde, ligadas ao Sistema Único de Saúde (SUS).
Atualmente, o projeto é coordenado pelo professor Pedro Almeida e está em fase de testes de desenvolvimento e elaboração de design.
Os pesquisadores também contam com o auxílio do Centro Regional de Inovação e Transferência de Tecnologia (Critt) da UFJF, para a transferência da tecnologia do projeto, e da empresa local Protmat, para a aceleração do desenvolvimento do modelo.
Ventilador mecânico
Segundo o professor da Faculdade de Engenharia, Exuperry Costa, “as inovações do projeto estão no desenvolvimento de sensoriamento e atuação mais avançados em relação a alguns modelos emergenciais, com um custo mais competitivo do que o observado em modelos comerciais de mesma capacidade”.
De acordo com o pesquisador, este foco do ventilador mecânico simplifica a construção desse aparelho específico, aumenta a velocidade de fabricação e prioriza a indústria nacional, demonstrando os resultados de pesquisas emergenciais desenvolvidas na universidade pública.
“Várias iniciativas de respiradores emergenciais são baseadas na automatização de uma bolsa de reanimação manual devido ao baixo custo. Nossa iniciativa, por outro lado, é baseada em pneumática, utilizando das linhas de oxigênio e ar hospitalar comumente disponíveis nos leitos de hospital”.
Outro fator agravante, como destaca a equipe de pesquisadores, “é o custo elevado dos ventiladores mecânicos que, em parte, pode ser justificado pela flexibilidade desses aparelhos: o modelo comercial atende vários sintomas pulmonares causados por diferentes cenários e enfermidades, não limitando-se às exigências de tratamento da Covid-19”.
O modelo proposto pelos pesquisadores é compatível somente com as necessidades do suporte ventilatório de pacientes com Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo.
“Todos temos que ser criativos para enfrentar esses desafios, no âmbito público e privado. Nós, na UFJF, estamos nos esforçando bastante para entregar para sociedade respostas a esses desafios. Estamos desenvolvendo várias técnicas e equipamentos, oferecendo auxílio às pessoas, produzindo álcool gel, insumos de higiene. Outros grupos estão realizando a testagem de Covid-19 em nossos laboratórios, o que aumentou a capacidade da cidade”, finalizou o professor Exuperry Costa.
Outros projetos
Durante a pandemia do novo coronavírus, o G1 mostrou outros projetos realizados na instituição. Em março, pesquisadores da UFJF desenvolveram uma viseira de proteção contra o coronavírus.
Já em abril, a Prefeitura e a Universidade firmaram uma parceria para reduzir os impactos do coronavírus na cidade.
Em maio, dois laboratórios da UFJF receberam o certificado de qualidade da Fundação Ezequiel Dias (Funed), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Atualmente, a instituição realiza testes da doença.
Initial plugin text

Please enter banners and links.