Brasileiros são detidos em Israel com meio quilo de cocaína 

Brasileiros portavam 50 cápsulas totalizando meio quilo de cocaína

Brasileiros portavam 50 cápsulas totalizando meio quilo de cocaína
Reprodução/Twitter

Dois turistas brasileiros foram presos em Israel ao tentar contrabandear meio quilo de cocaína para o país, informou a conta oficial da polícia israelense no Twitter nesta segunda-feira (2). Segundo a publicação, os brasileiros haviam engolido 50 cápsulas contendo a droga — os oficiais divulgaram uma foto do material na rede social. 

O jornal Israel National News afirma que o casal de brasileiros, com idade aproximada de 40 anos, foi detido no Aeroporto Internacional Ben Gurion, de Tel Aviv. Eles despertaram suspeitas logo no desembarque e foram levados a um interrogatório e depois para um hospital — onde exames revelaram a existência das substâncias dentro de seus corpos.

Os suspeitos devem permanecer detidos até o dia 4 de julho, segundo o periódico.

O R7 tentou contato com o Ministério das Relações Exteriores brasileiro para apurar o caso na manhã desta segunda-feira, mas não obteve resposta até a publicação desta nota. 

Investidor bilionário David Loeb pressiona Nestlé por mais vendas, reestruturação

Por Svea Herbst-Bayliss

BOSTON (Reuters) – O investidor bilionário Daniel Loeb intensificou no domingo a pressão sobre o grupo alimentício Nestlé, em uma carta que pediu ao conselho da empresa que seja mais “assertivo, ousado e rápido” em dividir os negócios e resolver a complexa estrutura de gestão.

“Esse é um pedido de urgência — em vez de incrementalismo”, disse a carta de Loeb, que veio junto com uma apresentação de 34 páginas com recomendações e críticas. O Third Point, fundo de hedge de 18 bilhões de dólares que investiu mais de 3 bilhões de dólares na Nestlé, também lançou um site para tratar do caso.

A carta de Loeb, vista pela Reuters, exigia que a Nestlé fizesse a cisão de mais negócios que não cabem na estratégia da empresa, incluindo sorvetes, comidas congeladas e confeitaria; se dividisse internamente em três divisões (bebidas, nutrição e mercearia) e adicionasse um membro externo ao conselho com conhecimento em alimentos e bebidas.

Cada divisão deveria ter seu próprio presidente-executivo, estrutura regional e liderança de markting, segundo Loeb. Isso “simplificaria a estrutura organizacional extremamente complexa (da Nestlé)”, citava o documento.

A Nestlé não tinha comentário imediato sobre a carta.

As demandas de Loeb surgiram logo no primeiro aniversário do seu investimento na Nestlé e em um momento de atividade de fusão significativa na indústria alimentícia.

Por meses, o investidor que anteriormente pressionava por mudanças no Yahoo e na Dow Chemical, bem como em outras companhias, observou e teceu comentários públicos periodicamente sobre o novo presidente-executivo da Nestlé, Mark Schneider.

Mas em sua carta ele deixou claro que a Third Point não mais está disposta a manter as críticas privadas. O investidor criticou o lento crescimento das vendas da Nestlé, a queda dos preços da ação e o fracasso em vender mais negócios que não se encaixam na estratégia de “bem estar e nutrição saudável”.

(Reportagem adicional por Rama Venkat Raman)