Chineses revelam patinete que pode voltar sozinho a estações


Veículo semiautônomo foi desenvolvido pela Segway-Ninebot e deve chegar às ruas em 2020. O presidente da Ninebot, Wang Ye, apresentou o patinete KickScooter T60, em Pequim, na última sexta-feira 916)
Florence Lo/Reuters
Para resolver um dos maiores problemas dos patinetes elétricos compartilhados, que ficam largados pelas ruas depois de seu uso, a Segway-Ninebot revelou, na China, um conceito que pode voltar às estações de recarregamento sozinho.
Chamado de KickScooter T60, o modelo deve chegar ao mercado em 2020 e também traz outro diferencial: o patinete tem duas rodas na dianteira, o que ajudaria a evitar quedas.
VÍDEO: 10 dicas para andar de patinete elétrico
“O ponto crítico para as operadoras de patinetes é encontrar um jeito de manter os patinetes a um custo menor”, disse Gao Lufeng, diretor executivo da Segway-Ninebot.
Patinete da Segway-Ninebot tem trêm rodas
Florence Lo/Reuters
No modo de operação atual, as empresas precisam fazer a coleta dos patinetes manualmente. Uber e Lyft, as gigantes de aplicativos de viagens de carros, estariam entre as interessadas no modelo semiautônomo, informou a agência Reuters.
Patinete KickScooter T60 da Segway-Ninebot pode voltar sozinho ao ponto de recarga
Florence Lo/Reuters
Segway-Ninebot
Formada pela união em 2015 da Ninebot da China e da Segway, pioneira em transporte nos Estados Unidos, a empresa se tornou a maior fornecedora de empresas de compartilhamento de scooters como a Bird and Lime.
“Acredito que as scooters substituirão as bicicletas como a principal solução para a mobilidade”, disse Gao. “É da natureza humana para economizar energia quando se viaja.”
Tecnologia da Segway-Ninebot permite patinetes retornarem sozinho a estações
Florence Lo/Reuters
Vai dar rolê? Veja 10 dicas:
Patinete elétrico: saiba como andar
Initial plugin text

Jeep Compass fica mais equipado e mais caro na linha 2020; parte de R$ 116.990


Aumentos são de até R$ 8 mil, mas todas as configurações ganharam equipamentos e novos pacotes de opcionais. Jeep Compass Sport
Divulgação/Jeep
O Jeep Compass chegou à linha 2020 mais equipado e até R$ 8 mil mais caro. Agora, o modelo parte de R$ 116.990 nas versões flex e de R$ 161.990 nas equipadas com motor a diesel.
Veja os preços:
Preços
Faróis automáticos, sensor de chuva e chave presencial para entrada no veículo e partida do motor, passam a ser itens de série na Sport, de entrada, que também adota o branco perolizado na paleta de cores por R$ 2.200.
Nas Longitude flex e diesel, a lista de equipamentos ganha retrovisor eletrocrômico, faróis automáticos e sensor de chuva.
Como opcional, a versão passa a ter sistema semiautônomo de estacionamento – que faz parte do pacote Premium, que custa R$ 5.000 e inclui também faróis de xenon, partida remota e sistema de som Beats.
Jeep Compass S 2020
Divulgação/Jeep
Para as configurações Limited e Trailhawk, a novidade fica para a inclusão do banco do motorista com ajustes elétricos de série e para o pacote High Tech como opcional.
O pacote custa R$ 8.000 e adiciona piloto automático adaptativo, faróis altos automáticos, sistema de som Beats, aviso de colisão frontal com frenagem de emergência, aviso para mudanças involuntárias de faixa e abertura elétrica do porta-malas.
A topo de linha S, por sua vez, ganha teto solar panorâmico elétrico de fábrica. Nas versões em que o item é opcional, ele custa R$ 8.600.