Como Funciona Gestão de Pessoas e Quais Benefícios de Aplicar em Sua Empresa

Saiba como funciona essa área da gestão de pessoas e quais os benefícios de aplicá-la em sua empresa

Além de uma forma de administrar uma empresa a gestão por competências é muito eficaz no desenvolvimento de talentos. Por meio dessa área da gestão de pessoas é possível orientar as responsabilidades das pessoas no intuito de organizar a empresa para que as metas sejam atingidas com eficiência.

Esse tema tem sido cada vez mais discutido dentro das empresas, por ser de grande importância para que o funcionamento seja feito com excelência e destaque o negócio no mercado. Genericamente o conceito de competência é exatamente esse: qualificar o indivíduo capaz de realizar determinado trabalho.

As competências são divididas em três dimensões: conhecimentos (que abrange informação); habilidades; atitudes e podem ser classificadas como humanas ou organizacionais. Para designar alguém por competência é preciso enxergar além de habilidades, é preciso se atentar aos valores e crenças que influenciam a conduta e as decisões do funcionário.

É importante saber que o que sustenta a competência organizacional é o conjunto de competências profissionais. Uma depende inteiramente da outra. Existem três categorias de competências individuais que são valorizadas no momento de formação das competências organizacionais: competências pessoais, técnicas e gerenciais.

E quando uma empresa define o perfil de competências individuais para o funcionário de uma função, está também expondo suas expectativas com relação ao comportamento, habilidades, conhecimentos, etc, que o profissional precisa para realizar o trabalho de maneira eficaz.

Defina as competências individuais da empresa e automaticamente defina a principal competência da organização

O perfil de competências é um fator determinante no processo de fundir as competências individuais com os objetivos estratégicos da empresa. Na hora de definir os objetivos é preciso elencar qual a missão da empresa, a visão para o futuro e os valores éticos. Acertado tudo isso é possível contratar ou moldar os profissionais que se encaixem no modelo de gestão.

A implantação desse processo requer tempo e recursos em treinamento. O treinamento é uma forma de desenvolver as pessoas a se tornarem mais produtivas, criativas e inovadoras, contribuindo melhor para os objetivos organizacionais. Esse desenvolvimento de competências é diretamente ligado ao crescimento contínuo da empresa e trarão benefícios a longo prazo, mas isso não é visto como um ponto negativo.

Uma empresa deve observar tanto seu ambiente externo, que envolve fornecedores e clientes, quanto o ambiente interno, para criar um posicionamento estratégico e aplicar certeiramente a gestão de competências e saber o que precisa de cada funcionário.

Como lidar com os barulhos fora de hora?

Morar em condomínio é um dos principais desafios de se conviver em sociedade, afinal são muitas pessoas em um mesmo espaço e às vezes a convivência pode ser um pouco penosa. E quando falamos desse assunto uma das principais reclamações é sobre o barulho.

Na maioria dos casos o síndico se depara com dois lados: o de alguém que acredita não estar fazendo tanto barulho assim e o do incomodado, que não consegue fazer suas atividades devido aos ruídos vindos da unidade vizinha. Será que a máxima “o meu direito acaba quando começa o direito do outro” se aplica nesses casos? É difícil dizer, visto que na maioria dos casos o desempate é o bom senso.

Agora vamos falar um pouco das regras?

Normalmente os horários em que são permitidos fazer barulho são os mesmos em condomínios e imóveis diferentes, independente da cidade. Você encontra esse tipo de informação no regulamento interno, nele também deverá estar especificado sobre os horários nos finais de semana. O período aceitável para se fazer barulhos é das 8h às 22h.

Porém existem alguns empreendimentos que possuem horários diferenciados no uso do salão de festas e áreas comuns, permitindo, por exemplo, que o som fique ligado até a meia noite. Por isso que é muito importante que enquanto morador você esteja ciente do perfil do prédio onde mora, pode ser que você pessoalmente não goste de barulho até tarde mas pode acontecer disso ser permitido pelo regulamento.

Além do perfil do empreendimento, é importante observar o entorno. Por exemplo, um prédio que tenha uma vizinhança agitada com casas noturnas ou bares dificilmente será um local silencioso e pouco movimentado.

Atividades de rotina

Andar de sapatos fazendo barulho, ligar máquina de lavar, crianças brincando ou assistir tv são atividades rotineiras mas que podem acabar incomodando algumas pessoas. Devido ao isolamento de alguns imóveis ser precário, esse tipo de atividade pode despertar desconforto se já tiver passado do horário permitido para barulho.

O diálogo, na maioria dos casos funciona, mas sempre temos exceções. Se o morador não procura mudar seus hábitos e continua a incomodar os vizinhos, a administração do prédio pode aplicar advertências e até multas.

Obras

A situação que pede uma maior compreensão de todos os moradores são as obras e reformas. A regra é que qualquer tipo de obra seja feita dentro do horário e dia permitido pelo regulamento, portanto os demais moradores devem tolerar, pois é impossível não fazer barulho nesses casos.

Se o barulho for muito alto e a obra estiver se estendendo por muito tempo, o síndico entra para fazer a mediação entre os moradores. Isso ocorre desde que ele esteja ciente da obra e que esta não trará efeitos negativos na estrutura do prédio.

Toda essa questão gira mais em torno do bom senso do que de regras, não é mesmo? E assim não fica muito difícil lidar com esses pequenos percalços da vida em comunidade.