YouTube divulga a lista dos 10 vídeos mais vistos em 2019

Com o final do ano
se aproximando, o YouTube divulgou uma lista com os 10 vídeos mais assistidos
em 2019. Entre eles destaques estão o youtuber Whindersson Nunes, o senhor que ganhou
a internet ao tentar fazer slime e o compositor do hit caneta azul

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Marques

1° lugar – o vídeo “Ticolé é muito bom” foi uma brincadeira entre amigos em ritmo de funk que viralizou. São mais de 38 milhões de visualizações na publicação feita no dia 29 de janeiro pelo canal ON Music

2° lugar – o Whindersson Nunes é um youtuber de sucesso com mais de 37 milhões de inscritos em seu canal. O vídeo com a sua opinião humorada sobre o filme Bird Box, produzido pela Netflix foi o segundo mais visto em 2019. São mais de 17 milhões de visualizações desde a publicação no dia 5 de janeiro

3° lugar – o jogo eletrônico Free Fire vem ganhando cada vez mais destaque, e com essa popularidade, a live da final do Free Fire Pro League Season 3 com duração de seis horas teve mais de 14 milhões de visualizações. O vídeo foi publicado pelo canal Free Fire Brasil que tem cerca de 4 milhões de inscritos

4º lugar – o vovô do slime ficou famoso após publicar um vídeo na plataforma tentando fazer a própria geleca. Nilson Izaias foi ganhando milhares de seguidores a cada tentativa de fazer um slime. Até que no dia 22 de janeiro, o vovô publicou o vídeo contando que tinha conseguido, após receber a ajuda de seus seguidores. Atualmente, o canal tem cerca de 4 milhões de seguidores 

5° lugar – o hit “caneta azul, azul caneta” ganhou tanto destaque que foi usado como paródia para a divulgação de preparação para as provas do Enem, que só permite o uso de caneta preta e transparente. A música de declaração de amor foi publicada no dia 18 de outubro pelo canal CANETINHO PRODUÇÃO e acumula 22 milhões de visualizações 

6° lugar – o YouTuber Lucas Lira, dono do canal Invento na Hora, que tem um pouco mais de 11 milhões de seguidores, publicou um vídeo no dia 8 de maio sobre sua visita ao tumulo dos atores que deram vida aos personagens Chaves, Seu Madruga e a Bruxa do 71. O youtuber relata que foi um dos vídeos mais especiais de ser gravado e o momento rendeu mais de 13 milhões de visualizações 

7° lugar – “’cabelin’ na régua, ‘bigodin’ fininho. ‘To’ solteiro. Nego Ney!”, o Arthur de apenas 7 anos e flamenguista, ganhou fama após ser notado pelo seu ídolo, o Gabigol. O Nego Ney, como foi apelidado, se tornou xodó do Flamengo e ganhou um vídeo especial no canal do time carioca que vendeu mais de 8 milhões de visualização

8° lugar – o hit “Piscininha Amor” virou um sucesso na internet e o canal do Rodrigo Mota TV, que tem mais de 3 milhões de inscritos, aproveitou para fazer uma paródia da música. O vídeo tem mais de 9 milhões de visualizações 

9° lugar – o canal Vihh Tube, que cerca de 10 milhões de inscritos, produziu uma webserie e o primeiro episódio, que conta com a participação de youtuber famosos, como o Lucas Rangel e Christian Figueredo, teve aproximadamente 8 milhões de visualizações 

10º lugar – a jovem Adriana Lua fecha a lista com um vídeo que conta sobre um acidente que sofreu na própria casa, quando teve 40% do seu corpo queimado. O canal que teve início no dia 30 de maio e o vídeo em questão foi o primeiro a ser publicado. O canal tem hoje 521 mil inscritos 

A descoberta do novo planeta que pode dar pistas sobre a morte do Sol

Ilustração: planeta gigante está perdendo sua atmosfera para estrela anã branca

Ilustração: planeta gigante está perdendo sua atmosfera para estrela anã branca


ESO / M KORNMESSER

Um planeta recém-descoberto forneceu pistas sobre o futuro do Sistema Solar quando o Sol chegar ao fim do seu ciclo de vida, daqui a 5 ou 6 bilhões de anos.

Astrônomos observaram um planeta gigante orbitando uma anã branca – os objetos menores e densos em que as estrelas se transformam quando esgotam seu combustível nuclear.

Essa é a primeira evidência direta de que planetas podem sobreviver ao processo cataclísmico que cria um objeto do tipo.

Os detalhes da descoberta aparecem na revista científica Nature.

O Sistema Solar como conhecemos não vai durar para sempre. Em cerca de seis bilhões de anos, o Sol, uma estrela amarela de tamanho médio, terá inchado e estará cerca de duzentas vezes maior do que hoje. Nessa fase, será o que chamamos de Gigante Vermelha.

Enquanto se expande, o astro vai engolir e destruir a Terra, antes de entrar em colapso e se transformar nesse núcleo pequeno, a chamada anã branca.

Os pesquisadores descobriram que uma anã branca, localizada a dois mil anos luz de distância, tinha um planeta gigante em sua órbita. As estimativas dão conta de que o planeta teria o tamanho aproximado de Netuno – mas ele pode ser maior ainda.

“A anã branca que observamos tem [temperaturas de] cerca de 30 mil graus Kelvin, ou 30 mil graus Celsius. Então se compararmos com o Sol, que tem 6 mil, é quase cinco vezes mais quente. Isso significa que está produzindo muito mais radiação UV do que o Sol”, disse Christopher Manser, da Universidade de Warwick, no Reino Unido.

“As forças gravitacionais são muito grandes, então, se um corpo, como um asteroide, chegasse perto demais de uma anã branca, a gravidade seria tão forte que ele acabaria destruído”.

De olho no futuro

O planeta gigante está perdendo sua atmosfera para essa relíquia estelar, gerando uma cauda semelhante à de um cometa como resultado. A anã branca está bombardeando esse mundo com fótons (partículas de luz) de alta energia e “puxando” o gás para si em um ritmo de 3 mil toneladas por segundo.

“Nós usamos o Very Large Telescope, no Chile, que é um telescópio de classe 8m… para coletar a espectroscopia da anã branca. A espectroscopia mostra, em separado, as cores que compõem a luz”, disse Manser à BBC News.

“Ao olharmos para as diferentes cores que o sistema produz, identificamos aspectos interessantes, mostrando que havia um disco de gás em torno da anã branca – que nós deduzimos ter sido produzido por um planeta com o tamanho de Netuno ou Urano”.

Astrônomos usaram o Very Large Telescope - VLT- no Chile para observar o sistema planetário distance

Astrônomos usaram o Very Large Telescope – VLT- no Chile para observar o sistema planetário distance

ESO

Os cientistas querem estudar melhor o sistema e esclarecer o que poderia acontecer com o nosso Sistema Solar, quando o Sol chegar ao fim da vida.

“Quando o Sol chegar à sua fase de Gigante Vermelha, ele se expandirá aproximadamente até a órbita da Terra. Mercúrio, Vênus e a própria Terra serão engolidos por ele. Mas Marte, o cinturão de asteroides, Júpiter e o restante dos planetas do Sistema Solar vão se expandir para fora de suas órbitas, conforme o Sol perde sua massa – porque terá menos atração gravitacional para esses planetas”.

“Por fim, o Sol vai se tornar uma anã branca e ainda terá Marte, o cinturão de asteroides e Júpiter em sua órbita. Conforme orbitam ao redor, esses planetas podem ser dispersos ou forçados para perto da anã branca”.

Mas a radiação emitida pelo Sol, quando chegar a tal estágio, vai ser poderosa o suficiente para evaporar as atmosferas de Júpiter, Saturno e Urano onde orbitam atualmente. Isso deixaria intacto apenas o seu núcleo rochoso.