19 de setembro, quarta-feira


Bom dia! Aqui estão os principais assuntos para você começar o dia bem-informado. Eleições 2018: G1 e a CBN entrevistam hoje Ciro Gomes, candidato à Presidência da República pelo PDT. Participe e mande sua pergunta. Ontem, o Jornal da Globo entrevistou Geraldo Alckmin, do PSDB; veja como foi. Acompanhe também a série sobre as propostas dos economistas dos presidenciáveis. O tema desta quarta-feira é Desemprego. Economia: sai à tarde a taxa básica de juros que, segundo estimativa de especialistas do mercado financeiro, deve ser mantida em 6,5% ao ano. O que será notícia hoje:
Pesquisa Ibope
Veja resultados de pesquisa Ibope para presidente por sexo, idade, escolaridade, renda e região.
Eleições 2018
Eleições 2018
Editoria de Arte G1
O G1 e a CBN realizam série de entrevistas com os candidatos à Presidência da República. Nesta quarta-feira, o convidado é Ciro Gomes, do PDT. A entrevista começa às 8h e terá uma hora de duração. O candidato responderá a perguntas enviadas pelos internautas e ouvintes e também a perguntas elaboradas pelos jornalistas. No final, passará por uma espécie de “pinga-fogo”, em que será sabatinado e poderá responder apenas com “sim” ou “não”. Interessados em fazer perguntas podem usar a hashtag #cbng1 nas redes sociais.
Veja o calendário das entrevistas
Entrevistas nos estados
G1 e CBN entrevistam, a partir das 11 horas, Rodrigo Tavares, candidato do PRTB ao governo de SP. Envie sua pergunta.
Veja o calendário das entrevistas
G1 e CBN entrevistam, a partir das 11 horas, Marcelo Trindade, candidato do partido Novo ao governo do RJ. Envie sua pergunta.
Veja o calendário das entrevistas
Entrevistas ao Jornal da Globo
Geraldo Alckmin (PSDB) é entrevistado no Jornal da Globo
Proposta dos economistas dos presidenciáveis
G1 segue com a série sobre as propostas dos economistas dos candidatos à Presidência. São 5 temas que dizem respeito à economia do país e também mexem com o seu bolso. Na 3ª reportagem, o assunto é Desemprego.
Juros
O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne hoje e deve manter a taxa básica de juros da economia brasileira estável em 6,50% ao ano, segundo estimativa da maior parte dos economistas do mercado financeiro. A decisão será anunciada após as 18h.
Coreias
Presidente sul-coreano visita a Coreia do Norte
Os líderes das Coreias do Sul e Norte – Moon Jae-in e Kim Jong-un – se encontraram em Pyongyang para a 3ª rodada de negociações entre os dois países. A cúpula termina hoje.
Neonazismo
Começa julgamento de acusados de atacar jovens por motivação religiosa, em Porto Alegre
Prossegue hoje em Porto Alegre o julgamento de três acusados de fazer parte de um grupo neonazista e de atacar três jovens judeus, há 13 anos. Eles negam participação no ataque.
Curtas e Rápidas:
Vídeo: MC Estudante faz rimas improvisadas com passageiros dos trens do Rio
RJ recebe sétima edição do evento ‘Dia E’ com serviços gratuitos para população
Futebol
Sul-Americana
19h30: Caracas x Atlético-PR
Libertadores
21h45: Boca Juniors x Cruzeiro
Previsão do tempo
Confira a previsão do tempo para essa quarta-feira
Previsão é de chuva nesta quarta no Sudeste, Norte e Centro-oeste. Veja a previsão do tempo por regiões.
Hoje é dia de…
Dia Nacional do Educador Social

Seis candidatos ao governo de MG discutem propostas no 2º debate da campanha eleitoral de 2018


TV Alterosa reuniu Adalclever Lopes (MDB), Antonio Anastasia (PSDB), Claudinei Dulim (Avante), Dirlene Marques (Psol), Fernando Pimentel (PT) e João Batista Mares Guia (Rede). Debate na TV Alterosa reuniu seis candidatos
Reprodução/TV Alterosa
Seis candidatos ao governo de Minas Gerais participaram na noite desta terça-feira (18) de um debate na TV Alterosa. O debate durou 2 horas, e terminou na madrugada desta quarta (19). É o segundo da eleição 2018 em Minas.
Participaram os candidatos a governador Adalclever Lopes (MDB), Antonio Anastasia (PSDB), Claudinei Dulim (Avante), Dirlene Marques (Psol), Fernando Pimentel (PT) e João Batista Mares Guia (Rede).
Durante o encontro, os postulantes apresentaram diagnósticos e propostas da situação do estado.
O debate foi dividido em quatro blocos:
No primeiro bloco jornalistas do grupo perguntaram para um candidato e escolheram outro para comentar.
No segundo e terceiro blocos os candidatos fizeram perguntas entre si.
No quarto bloco os candidatos fizeram considerações finais.
Primeiro bloco
O debate começou com uma pergunta para o governador Fernando Pimentel sobre o parcelamento de salários no estado. Antonio Anastasia comentou.
A segunda pergunta foi para Claudiney Dulin sobre a situação das rodovias federais que cortam Minas. O candidato Adalclever Lopes comentou.
Na sequência, o combate ao novo cangaço, que atua no interior do estado, foi o tema da pergunta para João Batista Mares Guia. Dirlene Lopes comentou.
Na pergunta a Adalclever Lopes sobre a aliança dele com o governo PT, Pimentel comentou.
Anastasia foi questionado sobre a promessa de ajuste das contas e na máquina do estado. Mares Guia foi quem comentou.
A pergunta para Dirlene Marques foi relativa a medidas para preservar acervo e patrimônio de MG. Dulin comentou.
Segundo bloco
Pimentel questionou Anastasia sobre gestão.
Adalclever questionou Dirlene sobre a situação da educação no estado.
Claudiney Dulim perguntou para Pimentel sobre alíquota do ICMS no estado que não foi mexida após a greve de caminhoneiros.
Dirlene perguntou para Mares Guia sobre a violência contra mulher.
Mares Guia questionou Adalclever sobre as alianças para um governo de coalisão.
Anastasia questionou Claudiney sobre a qualidade da educação em MG.
Terceiro Bloco
Adalclever questionou Anastasia sobre educação.
Dirlene perguntou para Pimentel sobre o desastre da Samarco, em Mariana.
Pimentel questionou Adalclever sobre a implantação da base comunitária.
Dulim perguntou para Mares Guia sobre como ele iria constituir maioria no legislativo.
Mares Guia apontou propostas para a educação quando questionou Dirlene.
Anatasia perguntou para Dulim sobre o corte dos empréstimos a servidores devido a falta de repasse do governo aos bancos.
Quarto Bloco
Nas considerações finais, os candidatos tiveram um minuto e meio para falar.
Dirlene Marques
Estou aqui hoje nesse lugar com a ousadia de quem sabe lutar. De quem lutou a vida inteira pelas mulheres, pelos movimentos sociais, nas ruas, em todos os locais. Mas eu estou aqui porque eu participo de um partido que tem as origens nos movimentos sociais. E é exatamente por isso que eu represento esse partido. Mas não sou só eu, toda aminha chapa de majoritário, como a minha chapa proporcional, ela representa esses movimentos, representa as lutas, que estão todos os dias nas ruas. E é por isso que nós estamos aqui pedindo o seu voto. Que você vote nos nossos candidatos proporcionais, que todos eles têm uma história de movimento, têm história de luta. E que eles representam de fato essa ousadia da mudança. E peço também o seu voto na nossa chapa majoritária. Uma chapa que é constituída de professoras e professor. E que sabe efetivamente para onde nós vamos. Sabe a importância da educação, mas não só da educação. Nós sabemos da necessidade que temos de fazer uma mudança radical em nosso país. Porque do jeito que está não dá mais para ficar. Nós contamos com vocês para confiar em nós, para dar o seu voto. Para dar a sua força. Por que nós sabemos como é lutar nas ruas e agora queremos lutar no institucional. Vote 50 majoritária e proporcional.
Fernando Pimentel
Em primeiro lugar agradecer aos Diários Associados, à TV alterosa, aos candidatos que participaram do debate. Dizer para quem nos acompanhou até agora, o mineiro, a mineira que está nos assistindo. Vocês viram aqui muita conversa. Muitos números, a grande maioria números equivocados, muito palavreado, muito debate. Mas olha, quem de fato está trabalhando por Minas Gerais é o governador que vos fala. Trabalhando dia e noite para consertar o estrago herdado do desgoverno que foi esses 12 anos de PSDB aqui no estado. Então eu quero dizer com toda a sinceridade. Eu falo a verdade e faço uma campanha com serenidade. Ouvindo as críticas, muitas delas infundadas, injustas que foram feitas aqui. Estou trabalhando por Minas Gerais, ao contrário dos senadores de Minas, três que nós temos, que lá em Brasília não fizeram nada pelo nosso estado. Absolutamente nada. E ainda ajudaram a patrocinar o golpe de estado que colocou Temer no governo. E está trazendo essa verdadeira tragédia para o Brasil inteiro. Eu quero dizer que eu tenho lado. Vocês sabem o meu lado. O meu lado é o do povo mineiro. E é desse lado que eu estou disputando essa eleição. É desse lado que eu venho com serenidade, com humildade, pedir ao eleitor e à eleitora, vote 13 em outubro. Vote 13 para presidente, vote 13 para ministro, perdão, para governador, vote 13 é o voto certo.
Claudiney Dulin
Meu amigo, minha amiga, você que está em casa agora nos assistindo tarde da noite. Amanhã cedo a luta recomeça. Nós temos que recomeçar a luta amanhã cedo. E é assim que nós vamos fazer no nosso governo. Nós vamos trabalhar desde cedo até a última hora da noite, para recompor Minas. Para recolocar Minas no caminho certo. Mas como é que nós vamos fazer isso? Com muita sensibilidade. Com conhecimento do nosso estado. Dialogando com as pessoas. Conversando com elas. Nós vamos estar presente em todas as regiões do estado. Você ai de Campos Altos, com o nosso café do cerrado. Você de Santa Rosa da Serra, você de São Gotardo vai ter o nosso governo presente na sua vida. Você dona de casa, você mãe, você pai de família. Conte com o governo que nós vamos estabelecer em Minas Gerais a partir de janeiro. Não vai ser um governo palaciano. Não vai ser um governo de cúpulas partidárias, não vai ser um governo que defenda interesses outros que não os seus. O nosso governo vai ser um governo diferente, porque nós somos diferentes. Nós somos diferentes deles, mas nós somos iguais a vocês. E nós vamos estar perto de vocês o tempo todo. Você vai sentir a presença do estado na sua vida. Você vai sentir que a saúde para sua mãe chegou até o seu município. Que a educação para o seu filho está até no seu município. E que a segurança para o seu povo também vai estar no seu município. Através de um governo justo, austero e cuidador. Nós vamos cuidar de vocês.
Antonio Anastasia
Mineiras e mineiros que nos acompanham até este momento. Como todo homem eu tenho muitos defeitos. Mas deus me deu o dom da serenidade e do equilíbrio. Vimos aqui inverdades, falsidade, informações equivocadas, mas eu não vou perder aqui o meu equilíbrio a minha serenidade e discutir isso. Minha energia, toda ela, está focada em reconstruir o estado e me preocupar com você, militar, professor, cidadão que não está tendo o serviço público de qualidade que merece ter. E é como tristeza que vemos esse sentimento de abandono que hoje está em toda Minas Gerais. Temos de gastar a nossa força e exatamente reconstruir o nosso estado. E vou fazê-lo com a experiência que tenho. E peço tão somente. Compare. Compare o que fizemos entre 2010 e 2014 no nosso governo. E o que está sendo feito agora no governo atual. Converse com seu vizinho que é servidor. Converse com a pessoa que está na padaria e que caíram suas vendas. O que aconteceu com Minas? Esse estado tão glorioso e que nós gostamos tanto. Hoje estamos envergonhados. Não podemos ficar assim. Minas é um estado especial e é exatamente o amor a essa terra, que nós todos temos. E que nos dará essa energia, não para discutir as questões desse bilhões que foram falados aqui, mas preocupar com você, com cada família, com cada pessoa, que nós vamos avançar e não vamos deixar ninguém para trás nessa reconstrução coletiva de Minas Gerais. Muito obrigado e boa noite.
Adalclever Lopes
Quero agradecer a TV Alterosa, Diários Associados, agradecer a todos os candidatos que aqui estão. Dizer que a nossa proposta ficou bem clara. É muito diferente dessa briga, desse rancor, desse ódio. Nós queremos fazer um governo de inclusão. Um governo principalmente de construção. Conversar com todos. A primeira coisa é unir. Unir os mineiros. Nós precisamos de unir os mineiros numa reivindicação única. Hoje o que que acontece? Morre gente na 381, morre gente pela segurança pública, pela falta de saúde. Nós precisamos de unir os políticos mineiros para reivindicar o que é verdadeiramente de Minas. Eu quero aqui demonstrar que nós em momento nenhum fizemos política de ódio nem de rancor. Nós não fizemos, em momento nenhum, política de exclusão e de terra arrasada. Nós vamos fazer um governo de inclusão. Precisamos de todos os candidatos que compõe a nossa chapa do voto. Nós precisamos que vocês olhem diretamente nos olhos de cada pessoa e diga o seguinte. Nós precisamos de um governador de Minas que uma os mineiros. Ninguém aguenta mais o ódio e o rancor. Quero agradecer a todos e pedir o voto no dia sete para o 15. Que nós vamos representar com muita lealdade, fidelidade. Com rancor nós não vamos passar nem perto. Rancor e ódio não faz parte da nossa proposta. Muito obrigado e que os mineiros escolham aquele que representa melhor o que é do mineiro. A paz.
João Batista Mares Guia
Meus comprimentos aos Diários Associados e à Alterosa, meus comprimentos aos candidatos. Acho que fizemos um debate razoável. Eu estava há 20 anos fora de partido, fora de política, fora de governo. Fui convidado para ser candidato a governador. Aceitei. Sou brasileiro, sou mineiro e tenho um sonho. Criar em Minas oportunidades para os jovens, que estão marginalizados nas periferias da Grande Belo Horizonte e nos interiores. Escola em tempo integral, com empreendedorismo, tecnologias, esportes, artes e formação. Para que saiam da condição de geração nem nem – nem escola, nem emprego – como cidadãos. Este é o grande sonho. E ao lado dos prefeitos, assegurar também a universalização da creche em tempo integral para que as mulheres disponham desse benefício civilizatório. Trago comigo as paixões do vale verde da minha juventude, os valores, alguma sabedoria de vida. Aprendi a governar e sei liderar. Com serenidade, firmeza e coragem para enfrentar os privilégios, que o atual e o ex-governador distribuíram em Minas Gerais para as elites do judiciário, do legislativo e outras. Promover o ajuste fiscal e a retomada do crescimento econômico. Em no máximo um ano, pôr em ordem a situação econômica do estado de Minas Gerais.