A França bate a Holanda, 2 X 1, e enfim celebra o título da Copa

Mbappé, 1 X 0 e a celebração de um garoto devidamente amadurecido

Mbappé, 1 X 0 e a celebração de um garoto devidamente amadurecido
UEFA

No resgate do evento chinfrim que realizou no dia 17 de Julho, a sua delegação mal e porcamente encarapitada em um caminhão e um passeio rapidinho, ridículo, de meia hora, nos Champs Elysées de Paris, diante de um milhão de frustradíssimas pessoas que desejavam mais, a FFF, a federação que organiza o Futebol na França, programou um evento de fato grandioso para este domingo, dia 9 de Setembro, a efetiva celebração da sua conquista da Copa Jules Rimet na recente competição da Rússia.

A chegada da delegação em Paris, muita gente e um passeio chinfrim

A chegada da delegação em Paris, muita gente e um passeio chinfrim
FFF

Planejou uma festança no Saint Denys da capital, repleto em seus 81.338 lugares, ao terminar o cotejo entre a sua seleção, comandada por Didier Deschamps e a visitante  Holanda de Ronald Koeman. O jogo valeria pela segunda rodada da nova Nations League da Europa, no Grupo 1 que também inclui a Alemanha. Na jornada inicial, dia 6, o elenco dos “Bleus” de Deschamps havia empatado, 0 X 0, em Munique, com os tedescos de Joachim Loew. Bem, valeria? Mais do que valeu. Descontraídos, relaxados, os pupilos de Deschamps se divertiram bastante no gramado enquanto, ao fundo, à maneira do que fazem os ingleses, os torcedores entoavam esfrofes da “Marselhesa”, aliás, o hino que tinham cantado “à capela”, sem o apoio de uma orquestra, na cerimônia protocolar antes da partida.

Mbappé, o momento exato do gol do 1 X 0

Mbappé, o momento exato do gol do 1 X 0
UEFA

Literalmente estratosférico, o garoto Kilyan Mbappé, 19 de idade e cada vez mais maduro, exigiu duas defesas de fato acrobáticas do arqueiro Jasper Cillessen até colocar o seu gol no placar aos 14’. Desceu pela direita, armou uma ofensiva que acabou por levar a pelota até o outro lado, e daí induziu Proepper a cometer uma barbeiragem, recuo de bola, de cabeça, que Matuidi capturou e então, livre na esquerda, cruzou para Mbappé registrar o seu nono tento em 24 porfias com os “Bleus”. No seu banco de reservas, estoico, impávido, as mãos nos bolsos, Koeman esperava que, no intervalo, pudesse modificar a situação. Detalhe: para quem conheceu o grande líbero que atuou pelos três clubes principais da sua pátria (Ajax, Feyenoord e PSV) e foi também o seu treinador, astro da “Laranja Mecânica” com 14 tentos em 78 prélios, impressionou constatar que ganhou peso e se tornou um gorducho.

Babel, de cabeça cor de magenta, a ilusão da igualdade, 1 X 1

Babel, de cabeça cor de magenta, a ilusão da igualdade, 1 X 1
UEFA

E efetivamente a Holanda melhorou, radicalmente, na etapa derradeira. E aos 67’ conseguiu a igualdade graças a uma tabela de Promes e Tete, através do flanco destro e às costas do distraído Lucas Hernández, que redundou num passe rasante e na finalização de Babel, de canela, o investida de Ryan Babel, o surinamês de cabelos tingidos de magenta. O empate acordou os “Bleus”, que reagiram quase imediatamente, aos 75’, da maneira mais preciosa, um gol de Giroud, de voleio, ele que havia passado toda a Copa da Rússia em jejum e que não celebrava um tento já fazia dez contendas. Bastou, França 2 X 1, três pontos na tabela de classificação e mácula nenhuma na festança.

Giroud, o gol depois de um jejum de dez partidas

Giroud, o gol depois de um jejum de dez partidas
FFF

Mas, como funciona essa Nations League, que começou as suas batalhas na quinta-feira, 6 de Setembro, com o clássico Alemanha X França, resultado de 0 X 0? Trata-se de uma disputa entre seleções que a UEFA, a entidade que organiza o Futebol na Europa, inventou para mobilizar as suas 55 afiliadas, a sua mídia e, principalmente, claro, os distribuidores das verbas de patrocínio, e aproveitar as chamadas “Datas FIFA” com pelejas verdadeiramente oficiais e não apenas caça-níqueis e sem um valor de fato comparativo. Além do ótimo tesouro, o equivalente a R$ 320 milhões em premiações, a NL, prevista para ocorrer a cada dois anos antes da Copa UEFA, ainda propiciará mais quatro vagas de qualificação à sua competição–matriz e, evidentemente, concederá pontos cruciais para o ranking de seleções do Velho Continente.

A taça da Nations League

A taça da Nations League
UEFA

Interessantíssimo princípio: com base no ranking antigo, aquele completado logo após a fase de grupos das últimas eliminatórias da Europa à Copa do Mundo da FIFA, a da Rússia/2018, a UEFA separou as 55 afiliadas em quatro divisões. Na A, obviamente a das melhores, ficaram doze seleções. Na B, mais doze. Na C, outras quinze. Na D, as remanescentes dezesseis. Em cada grupo das divisões se definiram cotejos de ida e de volta, a se disputarem entre este dia 6 e o dia 20 de Novembro. Os quatro vencedores se digladiarão, daí, entre o 5 e o 9 de Junho de 2019, para se decidir o campeão. Melhor: ineditamente haverá quatro seleções rebaixadas da A à D. E respectivamente haverá outras quatro seleções promovidas com o seu acesso desde a D até a A.

A distribuição das seleções, Série por Série

A distribuição das seleções, Série por Série
UEFA

Um sorteio distribuiu as doze de ranking superior, ou as doze da Série A, nas quatro chaves aqui explicitadas:
1 – Alemanha, França e Holanda
2 – Bélgica, Suíça e Islândia
3 – Portugal, Itália e Polônia
4 – Espanha, Inglaterra e Croácia

Os outros duelos já completados neste início de NL:
Suíça 6 X 0 Islândia
Itália 1 X 1 Polônia
Inglaterra 1 X 2 Espanha

Eis os prélios restantes:
Dia 10 Portugal X Itália
Dia 11 Islândia X Bélgica e Espanha X Croácia

Gostou? Clique em “Compartilhar”, em “Tweetar”, ou deixe a sua opinião em “Comentários”. Muito obrigado. E um grande abraço!

Tarde de pouco futebol e um empate sem graça entre América-MG e Ceará

O empate por 0 a 0 entre América-MG e Ceará foi uma partida de poucas ações ofensivas. Aparentemente as duas equipes prefiram dosar as energias em campo, já que fizeram grandes duelos contra Vasco e Corinthians, na última rodada.

Os triunfos sobre duas das maiores equipes do país, criou uma expectativa de que o jogo seria mais movimentado. Ao fim do jogo, apenas o Ceará saiu satisfeito de campo.

Mesmo permanecendo na zona do rebaixamento em 18º, a equipe do técnico Lisca chegou ao terceiro jogo seguido sem derrota, conseguindo sete pontos em nove disputados. Do lado americano, a sensação era de uma boa chance perdida de subir na tabela. Ainda mais com a rodada sendo favorável com a derrota do Corinthians para o Palmeiras em São Paulo.

As únicas chances reais de gol aconteceram uma em cada tempo de jogo. Aos 18 min, Wesley recebeu de Leandro Donizete e chutou na trave direita do goleiro Diogo Silva. O troco cearense veio com Juninho Quixadá que costurou a defesa do Coelho, tocou parra Felipe Azevedo que finalizou para o gol aberto, mas Messias tira a bola em cima da linha.

A igualdade no jogo fez o Coelho cair para a 10ª posição com 30 pontos, enquanto o Vozão chegou aos 24 pontos, em 18º na classificação.
O América-MG volta a campo no próximo domingo, 16 de setembro, às 11h, contra o Botafogo, no estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro. Já o Ceará recebe o Vitória no Castelão, em Fortaleza, às 16h do sábado, 15 de setembro.

FICHA TÉCNICA
AMÉRICA-MG 0 X 0 CEARÁ

Local: Independência, Belo Horizonte (MG)
Data: 9/9/2018 – 16h
Árbitro: Daniel Nobre Binss (RS)
Assistentes: Alessandro Álvaro Rocha de Matos, Michael Stanislau(ambos do RS)

Público/renda: 4348 pagantes/ Renda: R$ 36 625,00

Cartões amarelos: Tiago Alves(CEA), Wesley Pacheco(AME)

AMÉRICA-MG: Fernando Leal; Norberto, Paulão, Messias e Carlinhos; Leandro Donizete, Wesley(Wesley Pacheco- 33’ 2º T), David; Giovanni(Lincoln- 18’ 1º), Luan e Rafael Moura (Matheusinho- 11’/2ºT). Técnico: Adilson Batista

CEARÁ: Diogo Silva; Samuel Xavier, Tiago Alves, Luiz Otávio e Felipe Jonatan; Edinho, Richardson, Pedro Ken(Arnaldo- 27’ 2º T), Calyson; Juninho Quixadá(Ricardinho- 27’ 2º T), e Felipe Azevedo(Arthur- 15’ 2º T). Técnico: Lisca