Caso do DJ Ivis reitera que má conduta na vida pessoal pode implodir trajetórias profissionais de sucesso


♪ ANÁLISE – Relatadas pelo G1 em reportagem de Gabriela Sarmento, as justas retaliações sofridas pelo DJ Ivis em âmbito profissional – após a divulgação de vídeos em que o artista agride violentamente a mulher, Pamella Holanda, com socos e puxões de cabelo – reiteram que a manutenção de uma carreira de sucesso depende cada vez mais da conduta do artista na vida pessoal. Qualquer passo em falso pode implodir trajetória bem-sucedida.
O repúdio a DJ Ivis por conta das agressões a Pamella já parece diluir instantaneamente carreira que vinha em ascensão ao longo deste ano de 2021.
Tecladista e produtor musical paraibano, Iverson de Souza Araújo tinha acabado de lançar pela gravadora Som Livre, em 24 de junho, o EP Eu ouvi Brasil no embalo da explosão do subgênero de forró conhecido como pisadinha e no rastro da explosão de hits como Esquema preferido (2018).
Demitido da produtora Vybbe por Xand Avião, nome responsável pela ascensão do DJ ao alçá-lo ao posto de diretor musical do cantor, Ivis já tem futuras colaborações canceladas e certamente enfrentará dificuldades para se manter em cena com sucesso.
Algo parecido aconteceu com o cantor e compositor Victor Chaves (da extinta dupla sertaneja Victor & Leo) por conta de agressão à mulher, ocorrida em 2017 e também revelada em vídeos espalhados pela internet. O cantor nunca mais conseguiu se reestabelecer na carreira musical.
É salutar que o mundo – em especial o mercado da música – esteja reagindo com repugnância à violência praticada por artistas contra mulheres. É sinal de progresso moral em sociedade ainda patriarcal, embaçada por machismo e por números intoleráveis de agressões contras mulheres – violência que, não raro, provoca mortes.
Seria repugnante que DJ Ivis saísse incólume depois de tudo o que fez. Até porque artistas mobilizam seguidores e servem de exemplo para o público. Que Ivis e todos aprendam a lição!