Caetano Veloso reacende a luz de ‘Hey Jude’ em single da trilha sonora do filme ‘Narciso em férias’


Capa do single ‘Hey Jude’, de Caetano Veloso
Reprodução
Resenha de single
Título: Hey Jude
Artista: Caetano Veloso
Compositores: John Lennon e Paul McCartney
Gravadora: Uns Produções
Cotação: * * * *
♪ Composta por Paul McCartney em junho de 1968, quando começou a ser cantarolada por Paul no carro que o conduziu à casa em que Cynthia Lennon (1939 – 2015) vivia com o filho Julian Lennon, a canção Hey Jude foi apresentada ao mundo em single lançado pelos Beatles em 26 de agosto daquele ano.
Também creditada a John Lennon (1940 – 1980) por questões contratuais do grupo inglês, Hey Jude é canção motivacional que, diante da adversidade, propaga fé na vida e em dias melhores.
Para McCartney, a canção foi recado terno a Julian Lennon, então uma criança de cinco anos entristecida com a separação dos pais.
Para Caetano Veloso, Hey Jude foi a canção que irradiava luz interior ao longo dos 54 dias em que o artista baiano ficou confinado numa cela por ordem do governo militar do Brasil, em prisão efetuada em 27 de dezembro de 1968.
Como reminiscência desse tempo em que era preciso “melhorar canções tristes” para enxergar uma saída literal e metafórica, Caetano reacende a luz interior de Hey Jude em single lançado sem aviso prévio nesta sexta-feira, 4 de setembro.
O single Hey Jude apresenta gravação inédita que faz parte da trilha sonora do documentário Narciso em férias, filme que estreia na segunda-feira, 7 de setembro, simultaneamente na plataforma Globoplay e em exibição na 12ª edição do Festival de Veneza.
O filme de Renato Terra e Ricardo Calil revive o período em que o cantor ficou preso através de relato do próprio Caetano e da exposição de dados e documentos do inquérito da prisão. Nesse tempo, Hey Jude simbolizou facho de luz na noite escura.
“Eu me lembro nitidamente de que Hey Jude, dos Beatles, era a canção positiva. Quando tocava, era sinal de que ia melhorar minha situação, os portões iam se abrir, a luz ia ser vista de novo”, relembra Caetano no documentário Narciso em férias.
Embora faça parte da estratégia de marketing para promover a estreia do filme, o single Hey Jude tem força, beleza e luz próprias.
Trata-se de recente gravação de voz e violão, produzida para o documentário. Só que, munido somente do violão, Caetano Veloso tem o hábito de iluminar canções, inclusive as alheias – a ponto de o maior sucesso comercial da discografia do cantor ter sido o álbum ao vivo lançado em 1998 e impulsionado pelo registro da canção Sozinho (Peninha, 1996).
Ao dar voz e violão a Hey Jude, Caetano registra a canção de modo convencional, sem inventar moda. Tudo poderia soar aparentemente simples, até trivial, se a alma do grande intérprete não pulsasse ali, reacendendo canção já gravada no Brasil, no original em inglês ou em versões em português, por time de intérpretes que foi de Cauby Peixoto (1931 – 2016) a Zezé Di Camargo & Luciano, passando por Kiko Zambianchi.
E o fato é que Caetano Veloso faz diferença nesse time, e o reforça, com registro de Hey Jude que surpreende, não por ser exótico, mas pela pulsão que evidencia toda a beleza do óbvio.