Cães são encontrados mortos dentro de freezer em Divinópolis


Animais foram localizados no Centro de Referência de Vigilância em Saúde Ambiental. Prefeitura emitiu nota sobre o assunto; MPMG quer que haja perícia. Cães estavam dentro de um freezer
Spad/Divulgação
A Sociedade Protetora de Animais de Divinópolis (Spad) denunciou a morte de vários cães encontrados nesta quarta-feira (21) no Centro de Referência de Vigilância em Saúde Ambiental (Crevisa) da cidade. Entre os animais estavam filhotes.
A Prefeitura emitiu nota sobre o assunto e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) quer que os animais passem por exames periciais.
De acordo com a diretora da Spad, Iris Moreira, uma audiência pública para discutir a situação do Crevisa está sendo preparada para o dia 9 de abril e várias visitas estão sendo feitas no local. A última foi na manhã desta quarta quando foram encontrados os animais mortos dentro de um freezer.
“No dia 2 de março estivemos lá e tinha uma cadela que havia parido. Hoje, os filhotes estavam entre os animais mortos. Chegamos de surpresa. Os funcionários alegaram que os animais estavam doentes e por isso foram sacrificados, mas até os filhotes estavam doentes também? A mãe não estava entre os cães mortos”, contou.
Iris ainda informou que um dos cães que estava morto no Crevisa, da raça Dálmata, ia ser resgatado pela Spad, mas o caminhão da Vigilância em Saúde recolheu o animal antes. Outros cães foram recolhidos no Bairro Niterói e também não há informações sobre eles.
O coordenador Regional das Promotorias de Defesa do Meio Ambiente da bacia Alto São Francisco, o promotor Leandro Wili, informou que tomou conhecimento das denúncias. “Recebi a denúncia esta manhã e fiz contato com a Polícia Militar de Meio Ambiente pedindo um levantamento do que aconteceu e encaminhar estes animais para exame pericial para verificar se realmente estavam doentes”, revelou.
Ainda de acordo com Wili, existe um procedimento investigatório sobre o Crevisa como um todo. “Propusemos um Termo de Justamente de Conduta (TAC) para que a Prefeitura adote uma política pública efetiva. Não sei se vamos conseguir um acordo administrativo em relação a isso. Provavelmente teremos que entrar com uma ação judicial”, afirmou.
Prefeitura
Em nota, a assessoria de comunicação da Prefeitura informou que a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) implantou um programa para controle da transmissão da leishmaniose visceral no município. Nesta terça-feira (20), os agentes de saúde recolheram sete cães no Bairro Niterói para realizar a castração, que também faz parte do programa implantado em Divinópolis.
Os agentes de saúde explicaram aos moradores que os cães seriam recolhidos e iriam passar pelo processo de castração no Centro de Referência de Vigilância em Saúde Ambiental (Crevisa). Depois do período pós-operatório e, seguindo as normas do manual do Ministério da Saúde, os cães serão devolvidos aos seus donos e se forem de rua serão deixados no mesmo local recolhido.
Em relação ao Dálmata, a assessoria informou que ele foi encontrado abandonado agonizando em um lote nesta terça-feira (20). “Seguindo a legislação vigente e de acordo com o laudo do médico veterinário, para evitar sofrimento ainda maior ao animal, ele precisou ser eutanasiado. O animal estava caquético, com os membros traseiros paralisados, com miíase (bicheira) nas patas dianteiras, com secreção purulenta no corpo”.
Ainda em nota, a assessoria de comunicação informou que “a Semusa fará um Boletim de Ocorrência contra protetores de animais que invadiram o Crevisa na manhã desta quarta-feira (21) e entraram em locais restritos aos funcionários, sem a presença ou acompanhamento de servidores públicos”.
A assessoria não respondeu sobre os outros animais, incluindo os filhotes, que estavam mortos dentro do freezer.

Powered by WPeMatico