Bruno Capinan apronta em Salvador álbum de ‘queer bossa nova’


Produzido por Vivian Kuczynski, disco sai em 2022 com canções autorais gravadas com músicos como Bem Gil e Marcelo Costa. ♪ Cantor e compositor baiano que vive na ponte Brasil-Canadá desde que migrou para Toronto em 2002, Bruno Capinan terminou de gravar o sexto álbum na cidade de Salvador (BA).
Embora tenha sido finalizado na capital da Bahia, o disco foi gravado entre Austrália, Brasil, Canadá e Estados Unidos, entre julho e novembro deste ano de 2021, com produção musical orquestrada por Vivian Kuczynski, ascendente artista curitibana que deu forma ao recém-lançado quinto álbum de Alice Caymmi, Imaculada, em parceria com a própria Alice.
Caracterizado por Capinan como um disco de “queer bossa nova”, o sexto álbum do artista foi gravado com os toques de músicos como o jazzista australiano Adrian Astro Perger (responsável pelos metais), o violonista Bem Gil e o ritmista Marcelo Costa, além de orquestra canadense.
O despertar de Capinan para o universo não-binário inspirou a safra autoral do álbum, composta, no dizer do artista, “com referências a tudo aquilo que o Brasil atual parece desprezar, mas que resistirá à tamanha degradação”.
O sexto álbum de Bruno Capinan tem lançamento previsto para o primeiro semestre de 2022 – com distribuição no Canadá pelo selo Lula Records – e se soma à discografia que já inclui os álbuns Gozo (2010), Tudo está dito (2014), Divina graça (2016), Real (2019) e Leão alado sem juba (2020).