BRF lança ‘trainee sênior’ para cargos de gerência


Programa vai selecionar 30 profissionais para atuarem como especialistas e consultores na empresa. Inscrições vão até o dia 7 de junho. Novo programa de ‘trainee’ da BRF foca em profissionais com 3 a 5 anos de formados
Reuters/Paulo Whitaker
No centro de uma reestruturação, a BRF, dona das marcas Sadia e Perdigão, está com inscrições abertas para uma espécie “trainee sênior”, um programa para selecionar e preparar profissionais para cargos de gerência na empresa.
Ao contrário do tradicional, o programa não exige que os candidatos sejam recém-formados (até 2 anos) mas prioriza aqueles com 3 a 5 anos de experiência e que já tenham trabalhado na posição de especialistas. Batizado de “Fast Track”, o trainee também é aberto aos funcionários da empresa.
São 30 vagas. A empresa não divulgou a remuneração, apenas afirmou que será compatível as praticadas no mercado para os cargos de especialista e coordenador.
Ao entrar para o programa, os selecionados serão contratados para os cargos de especialista ou consultor, um nível abaixo do de gerente de área.
Para participar, é preciso ter completado o ensino superior entre 2013 e 2015 e ter experiência comprovada nas áreas de finanças, engenharia, veterinária, farmácia, planejamento estratégico, marketing, vendas/ comercial, tecnologia, recursos humanos, operações e cadeia de suprimentos, administração, qualidade, relações institucionais, compliance e/ou investigações, gestão de riscos, controles internos e auditoria.
Também é necessário ter inglês avançado e disponibilidade para viajar e morar em qualquer parte do Brasil e também fora do país. Pós-graduação e MBA em cursos relacionados ao negócio da companhia serão considerados um diferencial.
Para quem já trabalha na BRF, é preciso ter ao menos 1 ano de casa e também 1 ano no cargo atual.
O programa
O programa terá duração de 18 meses. Nos 2 primeiros, os selecionados receberão treinamentos gerais sobre a empresa e, nos demais, já atuarão nas suas áreas de conhecimento.
A maior parte do programa será ministrada nos escritórios administrativos da empresa em São Paulo e Curitiba, mas haverá viagens para as fábricas pelo país.
As inscrições vão até o dia 7 de junho e devem ser feitas pela internet.
Segundo Weliton Roberto Shalabi, líder global de recrutamento da BRF e idealizador do programa, o “Fast Track” busca “uma injeção de talentos [na empresa] com um foco muito específico [em cargos de liderança]”.
A BRF vive uma crise de gestão. A empresa vem acumulando sucessivos prejuízos e passou por trocas de comando recentes. Shalabi nega, porém, que o programa tenha sido criado por conta de uma dificuldade em encontrar profissionais.
Recuperação da BRF vai levar pelo menos 2 anos, diz Pedro Parente
“A BRF nunca teve problema de atração de talentos. O que a gente quer é acelerar a carreira desses líderes que estamos trazendo”, diz.
O programa de trainee tradicional da BRF também terá uma edição em 2019, mas a empresa ainda não definiu a data para as inscrições. A BRF não divulga desde quando o programa existe e nem quantos recém-formados passaram por ele.