Bolsonaro não tem intenção de impedir divulgação de dados pelo Inpe, diz porta-voz

Bolsonaro já disse que informações sobre desmatamento na Amazônia ‘prejudicam’ o Brasil e que quer ter acesso prévio a relatório. Cientistas lançaram manifesto em apoio ao Inpe. Bolsonaro volta a criticar dados do Inpe sobre o desmatamento no Brasil
O porta-voz do governo federal, Otávio Rêgo Barros, afirmou nesta segunda-feira (22) que o presidente Jair Bolsonaro não tem a intenção de impedir a divulgação de dados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).
Rêgo Barros deu a declaração ao conceder uma entrevista coletiva no Palácio do Planalto. Ele foi questionado se, no caso de os dados sobre desmatamento causarem “estranheza” a Bolsonaro, a Presidência pode decidir não divulgar as informações.
“Absolutamente, o Planalto sempre trabalha pelo princípio da transparência. A intenção do senhor presidente é identificar desde pronto no relatório quais são as demandas e quais são as ações prospectivas para corrigir, se for o caso, e para potencializar eventuais dados que ali ocorram no relatório”, afirmou o porta-voz.
“Absolutamente, não há intenção do presidente ou do governo de ferir esta cláusula pétrea, que é a transparência do Poder Executivo para com a nossa sociedade”, acrescentou.
Na semana passada, Bolsonaro questionou os dados do Inpe sobre o desmatamento na Amazônia. No fim de semana, disse que a divulgação “prejudica” o Brasil.
Mais cedo, nesta segunda-feira, o presidente também afirmou que não pode ocorrer divulgação de dados sem que ele tenha conhecimento prévio para não ser “pego de calças curtas”.
Ministro Marcos Pontes pede ao Inpe relatório sobre desmatamento no Brasil
Diretor do Inpe
Também nesta segunda, o ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, divulgou uma nota informando ter pedido ao Inpe dados consolidados sobre o desmatamento da Amazônia nos últimos 24 meses.
Ainda na nota, Marcos Pontes afirmou que o diretor do instituto, Ricardo Galvão, foi convidado para “esclarecimentos e orientações”.
Durante a entrevista coletiva no Palácio do Planalto, o porta-voz do governo foi questionado se Bolsonaro considera demitir o diretor do Inpe. “O presidente não me adiantou qualquer possibilidade neste sentido”, respondeu o porta-voz.
Comunidade científica rebate críticas de Bolsonaro a dados do Inpe
Reação da comunidade científica
Neste domingo, o Conselho da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) divulgou um manifesto em apoio ao Inpe após as críticas de Bolsonaro.
Conforme o manifesto, dados podem ser questionados, desde que com “argumentos científicos sólidos”, não por “motivações de caráter ideológico, político ou de qualquer outra natureza”.
“Críticas sem fundamento a uma instituição científica, que atua há cerca de 60 anos e com amplo reconhecimento no país e no exterior, são ofensivas, inaceitáveis e lesivas ao conhecimento científico”, afirma um trecho do documento.
Outros temas
Na entrevista, Otávio Rêgo Barros também:
informou que o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) terá R$ 31 bilhões para a safra 2019/2020;
disse que, para Bolsonaro, “os nordestinos representam a força do povo brasileiro, que supera adversidades de toda ordem, sendo exemplo de gente resiliente e trabalhadora”.