Blackpink: por que afagos de banda feminina de K-pop em panda irritaram chineses


Imagens colhidas para reality show, de meninas da banda fazendo afagos em filhote em zoológico sul-coreano, causaram onda de protesto na mídia e de internautas chineses reclamando que panda foi colocado em risco. O grupo de k-pop Blackpink
Reprodução/Instagram
Uma famosa banda feminina de K-pop criou polêmica na China depois que suas integrantes foram vistas em seu reality show fazendo afagos em um filhote de panda.
As estrelas do Blackpink foram filmadas neste mês abraçando o filhote Fu Bao, de três meses, em um zoológico na Coreia do Sul.
As cenas do programa de TV parecem inocentes, mas na China causaram furor e uma onda de reclamações nas redes sociais e na imprensa.
Com isso, a gravadora da banda decidiu tirar o vídeo do ar.
Initial plugin text
‘Diplomacia dos pandas’
Na China, o tratamento de pandas no exterior é um assunto sensível, já que se trata do único país onde estes animais vivem em habitat natural. O país asiático cede pandas para zoológicos ao redor do mundo como um gesto de fortalecimento dos laços diplomáticos.
É aí que entra Fu Bao. Ele nasceu em julho, filho de dois pandas gigantes que chegaram à Coreia do Sul em 2016, vindos da província chinesa de Sichuan como parte desta “diplomacia dos pandas”.
Na semana passada, Fu Bao, cujo nome significa “tesouro da sorte”, foi apresentado ao público pela primeira vez.
Mas grupos ambientalistas chineses defendem regras rígidas no tratamento com pandas, categorizados como uma espécie vulnerável pelo WWF, o Fundo Mundial para a Natureza. Apenas profissionais treinados deveriam ter contato com os animais, dizem.
Quais foram as críticas à banda?
A mídia chinesa e internautas acusaram as integrantes do Blackpink de colocar o panda em risco.
O jornal China Daily publicou que havia “risco de transmissão de infecções zoonóticas, já que algumas das artistas têm cães e gatos de estimação”.
Outros disseram que as meninas usavam muita maquiagem e tocaram a mão do panda sem usar máscaras e luvas.
A China cede pandas para outros ao redor do mundo como um gesto de fortalecimento dos laços diplomáticos
Getty Images via BBC
A rede social chinesa Weibo acumulou milhares de postagens com uma hashtag afirmando: “o Blackpink tocou o filhote de panda de maneira errada”.
“Tesouros nacionais da China estão na Coreia do Sul, mas os coreanos não estão cumprindo as regras ao lidar com eles. Por que o Blackpink é privilegiado?”, escreveu um usuário.
Outra pessoa pediu às autoridades chinesas que “tragam nossos tesouros nacionais de volta”, enquanto outra pediu que as integrantes da banda “se desculpem publicamente”.
A polêmica se intensificou quando uma organização chinesa dedicada à conservação ambiental se pronunciou.
A China Wildlife Conservation Association (CWCA) disse que escreveu uma carta de reclamação ao Everland Resort na Coreia do Sul. Nela, o grupo pediu ao zoológico que “impeça imediatamente” qualquer pessoa, exceto cuidadores ou veterinários, de tocar nos pandas.
Como a banda se posicionou?
A banda ainda não se manifestou publicamente, mas seu selo musical, YG Entertainment, tratou do episódio em um comunicado.
A gravadora defendeu a visita da banda aos animais, argumentando que “todas as integrantes usavam luvas higiênicas, máscaras e roupas de proteção” em todos os momentos.
No entanto, em respeito às críticas, decidiu suspender o vídeo.
O Blackpink não é a primeira banda de K-pop a causar controvérsia na China.
No mês passado, a boyband BST foi duramente criticada no país depois de um integrante fazer comentários sobre a Guerra da Coreia. O caso levou produtos de merchandising da banda a serem retirados de sites chineses.