BCE mantém política monetária


Banco Central Europeu decidiu manter taxas básicas de juros em seu menor nível histórico e não pensa em aumentá-las ao menos até o fim de 2019. Placa em frente ao Banco Central Europeu, em Frankfurt, na Alemanha
Kai Pfaffenbach/Reuters
O Banco Central Europeu (BCE) deixou inalterada sua política monetária como esperado nesta quarta-feira (10), mantendo as taxas de juros em mínimas recordes e sua orientação neste ano apesar da forte desaceleração no crescimento econômico.
Com a economia e a inflação desacelerando, o BCE já recuou de seus planos de apertar a política monetária neste ano, anunciando ainda mais estímulo para impulsionar uma economia focada nas exportações que agora enfrenta dificuldades em meio ao enfraquecimento global do comércio.
Mas depois de apresentar novas medidas no mês passado, o BCE pode aguardar antes de contemplar qualquer novo passo, mantendo opções no caso de a contração econômica se tornar mais severa do que o esperado.
“O Conselho espera agora que as taxas de juros do BCE permaneçam em seus níveis atuais pelo menos até o fim de 2019, e por quanto tempo for necessário”, disse o BCE em comunicado, reafirmando sua orientação sobre os juros.
Embora essa orientação esteja fora de sincronia com as expectativas do mercado, que vê a primeira alta em 2021, as autoridades minimizam o significado disso, argumentando que condições econômicas vão impactar a eventual medida e que os preços de mercado simplesmente refletem a mudança no cenário.
Com a decisão desta quarta-feira, a taxa de depósito do BCE, atualmente sua principal ferramenta, permanece em -0,40% – isso significa que os bancos seguirão pagando juros negativos de 0,40% pelo excedente que depositam no BCE.
A taxa de refinanciamento, que determina o custo do crédito na economia, permaneceu em 0%, enquanto a taxa de empréstimo ficou em 0,25%.