Balança comercial registra saldo positivo de US$ 3,6 bilhões em fevereiro

Resultado foi divulgado pelo Ministério da Economia. De acordo com o governo, exportações somaram US$ 16,9 bilhões no mês passado, e importações, US$ 12,6 bilhões. O Ministério da Economia informou nesta sexta-feira (1º) que a balança comercial registrou superávit de US$ 3,673 bilhões em fevereiro deste ano.
Quando as exportações superam as importações, o resultado é de superávit. Quando acontece o contrário, o resultado é de déficit.
De acordo com o governo federal, as exportações somaram US$ 16,923 bilhões em fevereiro, e as importações, US$ 12,620 bilhões.
O saldo positivo de fevereiro representa alta de 22,5% na comparação com o mesmo período do ano passado – quando foi registrado superávit de US$ 2,999 bilhões.
Na comparação com fevereiro do ano passado, as exportações tiveram queda de 15,8%; as importações registraram queda ainda maior: 21,2%.
No caso das exportações, houve aumento na venda de produtos básicos (+10,2%), mas caíram as exportações de manufaturados (-32,3%) e de semimanufaturados caíram (-21,2%).
Nas importações, o governo federal informou que recuaram as aquisições de todas as categorias, na comparação com o mesmo mês de 2018: bens de capital (-61,9%), bens intermediários (-2,9%), combustíveis e lubrificantes (-34,3%) e de bens de consumo (-11,4%).
Primeiro bimestre
No acumulado dos dois primeiros meses deste ano, o governo federal informou que o saldo da balança ficou positivo em US$ 5,865 bilhões.
O resultado é relativamente estável (+0,7%) na comparação com o mesmo período do ano passado, quando o superávit da balança foi de US$ 5,823 bilhões.
No acumulado deste ano, de acordo com o Ministério da Economia, as exportações somaram US$ 34,872 bilhões, com média diária de US$ 830 milhões (queda de 3,6% sobre o mesmo período do ano passado).
As importações, por sua vez, totalizaram US$ 29,007 bilhões, ou US$ 690 milhões por dia útil (recuo de 3,5% em relação ao mesmo período de 2018).
Mercados compradores
De acordo com o governo, os principais compradores de produtos brasileiros no primeiro bimestre foram:
China: US$ 8,6 bilhões;
Estados Unidos: US$ 4,5 bilhões;
Argentina: US$ 1,5 bilhão;
Países Baixos: US$ 1,4 bilhão;
Panamá: US$ 1,4 bilhão.
Resultados
No ano passado, a balança comercial registrou um superávit de US$ 58,3 bilhões.
Com isso, o saldo positivo, assegurado principalmente pela exportação de produtos básicos, ficou 13% abaixo do de 2017.
A expectativa do mercado financeiro para este ano é de nova piora do saldo comercial. Segundo pesquisa realizada pelo Banco Central na semana passada, a previsão para 2019 é de um saldo positivo de US$ 51 bilhões nas transações comerciais do país com o exterior.
O Banco Central, por sua vez, prevê um superávit da balança comercial de US$ 38 bilhões para este ano, com exportações em US$ 250 bilhões e importações no valor de US$ 212 bilhões.