Avó conta à Polícia Civil que não sabe o que fez cachorro atacar neta em Goiânia


Segundo delegada, em depoimento a mulher relatou que animal é dócil, nunca apresentou sinais de agressão e está na família há mais de 8 anos. Bebê é socorrido com ferimentos graves após ser atacada por cachorro
Corpo de Bombeiros/Divulgação
A avó da bebê que foi atacada pelo cachorro da família e está internada, em Goiânia, contou à Polícia Civil que não sabe o que fez com que o animal agredisse a neta. A mulher disse à corporação que o cão sempre foi dócil, recebia comida na boca e está há mais de 8 anos com eles.
“No depoimento ela contou que estava se preparando para sair, o portão entreaberto, estava com a menina no colo, quando o cachorro pulou em cima dela e pegou a criança. Foi muito rápido, ela falou que não percebeu nem a aproximação do cachorro”, relatou ao G1 a delega Paula Meotti, responsável pelo caso.
A bebê de 1 ano está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) desde o dia do acidente. O estado de saúde dela na noite de domingo (1º) era regular, consciente e com respiração espontânea considerada normal.
Acidente
A garota foi mordida pelo cachorro no último dia 19 de junho, na casa da avó, na Vila Maria Luíza, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, a bebê estava no colo da avó no momento do acidente.
O animal foi levado para o Centro de Zoonoses da capital, onde deve ficar em observação por dez dias, conforme protocolo da unidade para animais que atacam humanos. Se não apresentar sintomas de raiva, depois desse período, pode voltar para a família.
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.