Avianca Brasil vai devolver mais oito aeronaves até segunda-feira, diz Anac


Último balanço da agência indicava que companhia aérea tinha 25 aviões em operação. A Avianca Brasil terá de devolver mais oito aeronaves, informou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) nesta quarta-feira (17). De acordo com o órgão, as devoluções vão ter início na segunda-feira (22) e devem ocorrer de forma escalonada para “mitigar os efeitos para os passageiros”.
Das aeronaves que serão devolvidas, sete são da GE Capital Aviation Services e uma é da PK AirFinance, companhia que também integra a GE Capital.
O último balanço da Anac indicava que a companhia aérea mantinha 25 aviões em operação.
A Avianca Brasil está em recuperação judicial e suas operações têm sido impactadas por decisões judiciais que determinaram a devolução de aviões por falta de pagamento.
“O cronograma de retomada das aeronaves terá início na próxima segunda-feira (22) e poderá impactar as operações a partir desta data. A Anac determinou que a empresa adeque sua malha aérea, seu sistema de venda de passagens e dê ampla divulgação dos voos cancelados de forma a minimizar o impacto pela retirada das aeronaves”, informou a Anac por meio de nota.
Na sexta-feira, a Anac disse que recebeu pedido para cancelar as matrículas de dez aviões operados pela Avianca Brasil, que pertencem à Constitution Aircraft Leasing.
Avião da companhia aérea Avianca decola no Aeroporto Internacional São Paulo
Celso Tavares/G1
Voos cancelados
Nesta quarta, a Avianca Brasil atualizou a lista de voos cancelados devido à redução da sua frota. Desta quarta até segunda, 314 voos programados da companhia deixarão de decolar. Na segunda-feira, foram cancelados 51 voos.
Passageiros afetados
A companhia aérea disse que vai entrar em contato com os passageiros afetados pelo cancelamento de voos para oferecer reembolso ou opções de reacomodação. Também informou que, se as passagens foram compradas por meio de agências, sites de viagem, o passageiro deve entrar em contato diretamente com as empresas.
Segundo a Anac, em caso de cancelamento ou de alteração do voo por iniciativa da Avianca, o passageiro deve ter os seus direitos respeitados, disponíveis para consulta no portal da ANAC na internet.
Reclamações podem ser feitas pela plataforma Consumidor.gov.br e, caso não sejam atendidas, o passageiro poderá recorrer aos órgãos do Serviço Nacional de Defesa do Consumidor.
O Procon-SP informou que pediu esclarecimentos para a Avianca sobre as providências adotadas e que a empresa alegou que a maioria dos passageiros foi avisada com 72 horas de antecedência sobre o cancelamento dos voos. Segundo o Procon, a Avianca informou ainda que poucos estão optando pelo reembolso e a maior parte preferiu a reacomodação em outras companhias aéreas.