Avianca Brasil pede suspensão de liminar para evitar retomada de aviões


Na segunda-feira, Justiça decidiu pela retomada de 15 aeronaves utilizadas pela companhia aérea por atraso em pagamento. A companhia aérea Avianca Brasil entrou na noite desta terça-feira (9) com um pedido no Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) de suspensão de liminar que concedida para as empresas arrendadoras a reintegração de posse de aeronaves e motores.
Em recuperação judicial desde dezembro do ano passado, a Avianca Brasil, quarta maior companhia aérea do país, tem travado diversas batalhas jurídicas com as empresas de leasing de aeronave por falta de pagamento.
Na segunda-feira (8), a justiça decidiu pela retomada de 15 aviões utilizados pela empresa. O grupo de empresas beneficiadas inclui Aircastle e Aviation Capital Group.
Na segunda-feira, justiça decidiu pela retomada de aviões
Celso Tavares/G1
A Avianca também tem tido problemas para operar nos aeroportos. Nesta terça-feira, a Floripa Airport, subsidiária do Grupo Zurich Airport, informou os voos da companhia aérea poderão ser interrompidos no Aeroporto Internacional de Florianópolis a partir de sexta-feira (12) por falta de pagamento de taxas aeroportuárias.
Na segunda-feira (8), a empresa alemã Fraport informou que a Avianca só poderá operar voos domésticos no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, a partir de quinta-feira (11), se repassar com antecedência as tarifas dos voos.
Plano de recuperação judicial
Na sexta-feira, os credores da companhia aérea Avianca Brasil aprovaram o plano de recuperação judicial da companhia. O plano foi aprovado em assembleia por 80% dos participantes.
A proposta apresentada pela Avianca prevê a divisão dos ativos da companhia em sete Unidades Produtivas Isoladas (UPIs).