Autoridades da Argentina monitoram ao menos 5 nuvens de gafanhotos

Nuvem mais próxima ao Brasil foi praticamente eliminada e oferece poucos riscos às lavouras. Outras 4 nuvens se encontram no norte argentino e não devem chegar em território brasileiro nesta semana. Autoridades localizam nova nuvem de gafanhotos na Argentina
Técnicos do Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa) da Argentina monitoram pelo menos 5 nuvens de gafanhotos espalhadas pelo país.
A última nuvem a chegar em território argentino, assim como as outras, entrou pelo Paraguai neste fim de semana. A concentração está localizada no norte argentino, e os insetos continuam longe do Brasil, a uma distância de cerca de 900 km.
Initial plugin text
Situação das nuvens
Das 5 nuvens, apenas uma – a primeira – está mais próxima do Brasil, a cerca de 90 km do Rio Grande do Sul, porém os argentinos já eliminaram mais de 80% dos insetos após a aplicação de agrotóxicos. Hoje, o potencial de estrago dela é baixo e o provável destino da nuvem é o Uruguai.
Nuvem de gafanhotos: saiba como argentinos estão exterminando essa ameaça às plantações
Agora, a que mais preocupa é uma de 20 km², que tem aproximadamente 800 milhões de gafanhotos. Pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas fizeram projeções que indicam que essas outras 4 nuvens estão no norte da Argentina e não devem chegar ao Brasil nesta semana.