Aulas virtuais endividam americanos, aponta relatório

Pais buscam crédito para compra de material escolar, e para alimentação que estudantes normalmente recebem na escola. Uma proporção significativa de americanos cujos filhos estão fazendo aulas à distância devido à Covid-19 vai se endividar devido a maiores gastos com alimentação e material escolar, de acordo com um relatório divulgado nesta terça-feira (19).
Os Estados Unidos são o país mais atingido no mundo pela pandemia do coronavírus e muitas escolas oferecem aulas online, pelo menos parcialmente, para evitar infecções.
Um relatório da empresa de finanças pessoais Credit Karma mostrou que 33% ou mais de 1.000 pais cujos filhos estavam pelo menos parcialmente em casa em julho disseram não se sentirem financeiramente preparados para enfrentar despesas associadas à educação à distância.
EUA projetam 190 mil mortes por Covid-19 até o início de setembro
Um quarto disse que se endividou para pagar essas despesas extraordinárias e 12% dizem que esperam fazer o mesmo até o final do ano.
Crédito
Daqueles que se endividaram, 38% disseram que buscaram crédito para “materiais de ensino que as crianças normalmente obtêm nas escolas, como livros, canetas, software de ensino ou laptops/tablets”.
Outros 32% disseram que não tinham escolha a não ser se endividar para comprar material escolar, enquanto 27% disseram que têm que cuidar do café da manhã ou lanche que seus filhos normalmente recebem nas escolas.
Isso aconteceu apesar do fato de 67% dos entrevistados receberem ou esperarem receber ajuda das escolas de seu distrito. O Congresso americano negocia ajuda adicional aos prejudicados pela pandemia, depois que um programa de assistência de US$ 2,2 trilhões aprovado em março expirou.