Arthur Nogueira mergulha nas próprias águas poéticas no álbum ‘Brasileiro profundo’


Artista assina a maioria das letras do disco em que também apresenta músicas inéditas com versos de Antonio Cicero e Jorge Salomão. ♪ No álbum autoral de músicas inéditas que lançará neste segundo semestre de 2021, Brasileiro profundo, Arthur Nogueira se ambienta mais uma vez no reino das palavras – tal como no anterior álbum autoral do artista, Rei ninguém (2017).
A diferença é que, em Brasileiro profundo, as palavras são escritas em maioria pelo próprio Nogueira, cantor e compositor paraense que reside na cidade de São Paulo (SP), tendo angariado prestígio como produtor musical dos últimos aclamados álbuns de estúdio das cantoras Adriana Calcanhotto (Só, 2020) e Fafá de Belém (Humana, 2019).
Das 12 músicas que compõem o repertório autoral do álbum Brasileiro profundo, somente duas trazem letras de lavras alheias. Uma é a música-título Brasileiro profundo, cujos versos são assinados pelo poeta Antonio Cicero, parceiro letrista recorrente no cancioneiro de Arthur Nogueira.
A outra música é Tem horas que pareço eu, cuja letra é assinada por outro poeta letrista do pop brasileiro, Jorge Salomão (1946 – 2020). As demais trazem versos escritos por Arthur com base no apreço do artista pela poesia.
“O fascínio pela poesia foi determinante em todas as minhas escolhas artísticas. Mesmo quando eu componho sozinho, como em Valente, tudo o que eu aprendi de poesia, tudo o que eu li de poesia, mostra-se determinante no trabalho”, ressalta Nogueira, referindo-se à música inédita eleita para ser o single inicial do álbum Brasileiro profundo.
Entre outras músicas inéditas compostas por Nogueira com as colaborações de Allen Alencar, Leonardo Chaves – produtor musical do álbum Brasileiro profundo – e Pratagy, o artista assina solitariamente no disco um tema instrumental.
Capa do single ‘Valente’, de Arthur Nogueira
Vitor Souza Lima
Composição que abre o álbum Brasileiro profundo, Valente tem música e letra criadas pelo próprio Nogueira, abrindo também os trabalhos promocionais do disco.
Em rotação desde ontem, 16 de setembro, o single Valente apresenta canção que propõe viagem poética por águas intercontinentais, partindo do rio Guamá – localizado no Pará, a aldeia do artista – e desaguando no rio Spree, em Berlim.
Valente, cabe ressaltar, é o sobrenome do meio do artista, nascido Arthur Valente Nogueira em 22 de abril de 1988 em Belém (PA).
Valente, a música, ganhou forma no estúdio com arranjo criado pelo paraense Leonardo Chaves – integrante da banda Joana Marte – a partir do violão tocado por Nogueira. O single Valente também tem os toques dos músicos Renato Torres (violão), Rubens Guilhon (piano elétrico) e Thomas Harres (percussão).
O single Valente gerou clipe – filmado sob direção de Vitor Souza Lima nas ilhas do Mosqueiro e Combu, na região metropolitana de Belém (PA), mas também com imagens do artista na Europa, captadas por Nina Cavalcanti em Berlim – e livro também intitulado Valente e concebido por Elisa Arruda, reunindo imagens do clipe e a partitura da canção, além de colagens e desenhos.