Argentina anuncia que vai intervir no mercado de câmbio para conter volatilidade


Na semana passada, a moeda argentina se desvalorizou 8,16%. Foto mostra notas de dólares e pesos argentinos em casa de câmbio em Buenos Aires
Victor R. Caivano/Arquivo AP Photo
O Banco Central da Argentina (BCRA) anunciou nesta segunda-feira (29) que vai intervir no mercado cambial com vendas em moeda estrangeira para reduzir a volatilidade financeira, em meio à crise econômica que afeta o país.
“Dado o aumento da volatilidade da taxa de câmbio observada nos últimos dias (…) o BCRA deve reforçar o viés contracionista da política monetária ao intervir no mercado cambial para reduzir de forma mais agressiva a quantidade de pesos”, disse a entidade em comunicado.
Na semana passada, a moeda argentina se desvalorizou 8,16% e fechou a sexta-feira a 46,80 pesos por dólar depois de tocar os 47 pesos. As reservas internacionais terminaram no final da semana em US$ 71,898 milhões.
Após o anúncio da autoridade monetária, a moeda era negociada na abertura do mercado a 46,50 pesos por dólar.
A Argentina congelou a faixa de flutuação da taxa de câmbio que era ajustada todo mês em 16 de abril e estabeleceu um piso de 39,75 pesos por dólar e um teto de 51,45 pesos até o final do ano.
De acordo com a nova disposição, se a taxa de câmbio estiver acima de 51,44 pesos, “o BCRA aumentará de US$ 150 para US$ 250 milhões o valor da venda diária estipulada até agora”, disse o organismo.
No entanto, essas intervenções também podem ser realizadas quando a cotação está localizada dentro da faixa de flutuação da moeda em determinadas circunstâncias.
“Da mesma forma (o BCRA) pode determinar o desempenho de intervenções adicionais para neutralizar episódios de volatilidade excessiva se for considerado necessário”, disse o Banco Central.
Argentina anuncia medidas para conter inflação e estimular consumo em meio à crise
FMI apoia medidas
O Fundo Monetário Internacional (FMI) se mostrou favorável às medidas de intervenção no mercado cambial anunciadas pelo Banco Central da Argentina.
“O Banco Central da Argentina introduziu hoje medidas importantes para abordar a recente volatilidade do mercado financeiro e da taxa de câmbio. Apoiamos essas medidas, que estão bem calibradas para os desafios que a Argentina enfrenta”, disse o porta-voz do FMI, Gerry Rice, no Twitter.
A instituição multilateral acompanha de perto os passos das autoridades argentinas para que o país possa sair da crise econômica, depois que o FMI estabeleceu no ano passado com o governo do presidente Mauricio Macri um crédito que chega a US$ 56,3 bilhões.