Aprenda a retirar o glitter do corpo sem causar danos à natureza

Purpurina e Glitter são microplásticos que podem levar centenas de anos para se decompor na natureza. Quem for usar o brilho durante o carnaval precisa se preocupar em como descartar o resíduo

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Marques

Diferentemente do que muitas pessoas pensam, jogar tudo pelo ralo durante o banho não é a maneira correta de remover o brilho colocado sobre a pele

Leia também: Funções cerebrais poderão evoluir artificialmente, diz pesquisador

Antes de entrar no banho, remova a purpurina passando papel higiênico sobre a pele
“É melhor jogar tudo no lixo comum, do que a purpurina entrar em contato com a água”, Gabriela Reis do Selo eureciclo
Leia também: Cientistas descobrem que plásticos estão ‘grudados’ nos oceanos

Para tirar o brilho do rosto,
pode ser usado o algodão. É um material mais delicado para ser utilizado numa
região mais sensível

Leia também: Rachadura na Antártica vai liberar iceberg 2 vezes maior do que NY

Quem preferir uma opção
mais ecológica, pode optar pelo glitter biodegradável, fabricado com materiais têm uma decomposição que prejudica muito pouco o meio ambiente 
Leia também: Carne de laboratório pode ser pior para o clima, dizem cientistas

Quem tiver um pouco mais de habilidade, pode até arriscar uma receita de purpurina caseira que pode ser encontrada na internet. Essa é uma opção sustentável e criativa para pular o carnaval com pouco impacto ambiental

Leia também: Encontrada tartaruga gigante considerada extinta há 100 anos

Se a ideia é customizar uma fantasia, a Gabriela aconselha evitar
adereços feito de plástico e orienta procurar por produtos mais naturais ou biodegradáveis.

Leia também: Um terço do gelo do Himalaia pode derreter até o fim do século