Aos 80 anos, Nana Caymmi projeta para 2022 álbum com as parcerias de Dori Caymmi e Nelson Motta


♪ Nana Caymmi ainda estava longe de ser unanimidade como cantora, em 1966, quando o irmão Dori Caymmi bateu o pé e decidiu que seria ela a intérprete de Saveiros – música da parceria do compositor carioca com Nelson Motta, então iniciando carreira como letrista de canções – na primeira edição do Festival Internacional da Canção (FIC).
Nelson Motta preferia Elis Regina (1945 – 1982), mas a insistência de Dori no nome de Nana se provou acertada. Saveiros venceu o festival de 1966, embora debaixo das vaias do público que, descontente com o resultado da competição, atrapalhou o canto de Nana.
O resto foi história que Nana Caymmi quer retomar em 2022. Aos 80 anos, completados nesta quarta-feira, 29 de abril de 2021, Nana projeta para o próximo ano um álbum com as parcerias de Dori Caymmi com Nelson Motta.
A obra conjunta dos compositores perdurou de 1965 até o início da década de 1970, tendo ficado marcada por temas de festivais e de novelas.
Se o disco sair do plano das ideias, haverá novidades na voz de Nana. Em depoimento para o repórter Danilo Caseletti, do jornal O Estado de S. Paulo, Nelson Motta revelou que já escreveu letra para o tema instrumental originalmente intitulado Andréa e, com os versos, rebatizado como Valsa de verão. A música é de 1969, tendo sido feita para a trilha sonora da novela Véu de noiva, exibida pela TV Globo naquele ano.
Já a balada Minha doce namorada – música-título da novela exibida pela TV Globo de abril de 1971 a janeiro de 1972 – já tinha letra, mas ganhou outro título, Um dia de sol.
Se o álbum for mesmo gravado, Nana terá à disposição composições da dupla como Velho pescador (1965), O mar é meu chão (1966), Cantiga (1967), O cantador (1967), De onde vens (1968), Rosa da gente (1968) e Depois de tanto tempo (1971).