Anvisa reclassifica agrotóxicos, rebaixando produtos tarja vermelha

Os agrotóxicos ganharam uma nova classificação desde quinta-feira (1º)

Os agrotóxicos ganharam uma nova classificação desde quinta-feira (1º)
Pixabay

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicou na quinta-feira (1º) no Diário Oficial da União a reclassificação toxicológica dos agrotóxicos já registrados no Brasil. Segundo o órgão, a medida ocorre em razão do novo marco regulatório do setor, que atualizou os critérios de avaliação e classificação toxicológica de agrotóxicos no país.

Mais da metade dos produtos com tarja vermelha no rótulo, indicação para “extremamentes tóxicos” na avaliação anterior, foram rebaixados com a adoção do novo critério.

Leia também: Saiba como os novos agrotóxicos liberados em 2019 afetam a comida

No total, 1.942 produtos foram avaliados pela Agência, sendo que 1.924 reclassificados. Entre ele, 43 produtos foram enquadrados na categoria de produtos extremamente tóxicos, 79 na de altamente tóxicos, 136 na categoria de moderadamente tóxicos, 599 na de pouco tóxicos e outros 899 foram classificados como produtos improváveis de causar dano agudo. Outros 168 produtos foram categorizados como “não classificados”.

De acordo com a Anvisa, o país passa a ter regras harmonizadas com as de países da União Europeia e da Ásia, o que fortaleceria a comercialização de produtos nacionais no exterior.

Saiba mais: Ministério da Agricultura aprova mais 42 agrotóxicos, chegando a 211

As categorias foram ampliadas de quatro para cinco, além de ter sido incluído o item “não classificado”, referente a produtos de baixo potencial de dano, como os de origem biológica.

O próprio órgão ressalta que essa ampliação impede uma comparação real entre a classificação toxicológica anterior e a reclassificação atual, que tem como base o no padrão GHS.