Ansel Elgort, de ‘A culpa é das estrelas’, nega acusação de estupro: ‘Relação consensual’


Jovem publicou relato, em que diz ter sido agredida pelo ator quando tinha 17 anos. Ele confirma que se relacionou com ela, mas diz que não houve crime. Ansel Elgort como Caleb no filme ‘Divergente’
Divulgação
Ansel Elgort, ator famoso por filmes como “A culpa é das estrelas” e “Em ritmo de fuga”, falou pela primeira vez sobre o relato de uma jovem, que diz ter sido estuprada por ele em 2014. Ele negou o crime.
A mulher, que se identificou como Gabby, fez a acusação na sexta-feira (19), em uma publicação no Twitter. Ela afirma que tinha 17 anos e o ator, 20, quando a agressão aconteceu.
“Ele não perguntou se eu queria parar, mesmo sabendo que era a minha primeira vez e vendo que eu estava chorando de dor. As únicas palavras que saíram da sua boca foram: ‘Precisamos fazer você se acostumar com isso’.”
Em um post no Instagram, Elgort confirmou que se relacionou com Gabby, em Nova York, naquele ano. “Tivemos um relacionamento breve, legal e totalmente consensual”, escreveu.
Initial plugin text
“Eu não posso dizer que entendo os sentimentos de Gabby, mas as descrições dela dos eventos simplesmente não aconteceram. Eu nunca ataquei ou atacaria alguém.”
Entenda a acusação
No relato, Gabby diz que estava prestes a completar 17 anos quando começou a trocar mensagens com o ator. Ela compartilhou prints de supostas conversas e fotos em que aparece ao lado de Elgort.
Ela conta ter ficado em choque no momento da agressão. “Eu não estava mais presente naquele momento, mentalmente. Eu simplesmente me dissociei, deixei minha mente ir embora. Sabia que não conseguiria sair de lá.”
“Ele me fez pensar que era isso que sexo deveria ser”, acrescentou.
Ainda segundo a jovem, o ator lhe pediu nudes e sugeriu fazer sexo a três com ela e uma amiga, também menor de idade na época. Gabby diz que, ainda hoje, tem ataques de pânico e precisa fazer terapia para lidar com o trauma do episódio.
Na resposta à acusação, Elgort pediu desculpas pela forma como o relacionamento terminou. “Eu não lidei muito bem com a separação. Parei de respondê-la, o que é uma coisa imatura e cruel a se fazer com alguém.”
“Eu sei que essas desculpas não me absolvem do meu inaceitável comportamento. Quando olho para minha atitude, fico com nojo e profundamente envergonhado pela maneira como agi. Eu realmente sinto muito”, escreveu.
“Eu sei que devo continuar refletindo, aprendendo e trabalhando para crescer em empatia.”