ANDA SP: Maioria dos ônibus que circulam pela cidade não possui tecnologia sustentável


Dos 15 mil ônibus que circulam por São Paulo, apenas 201 são elétricos; transportes do futuro serão limpos e com inteligência artificial. São Paulo tem projeto para despoluir Rio Pinheiros e usá-lo para transporte hidroviário
A ideia de criar meios de transporte que poluam menos o meio ambiente vem sendo difundida em todo o planeta, mas em São Paulo o resultado ainda está aquém do esperado: dos 15 mil ônibus que fazem parte da frota que circula pela cidade, apenas 201 são elétricos. A tendência é que os transportes fiquem mais sustentáveis, com tecnologias limpas.
Outra tecnologia que pode aparecer em breve fica por conta dos veículos inteligentes, ou seja, transportes que não têm motoristas. A ideia é que eles sejam guiados por uma inteligência artificial, auxiliada por câmeras, e capazes de desviar de obstáculos e manter a segurança de pedestres e passageiros.
Além dessas possibilidades, por ser uma cidade cortada por rios, São Paulo poderia ter transportes hidroviários, a exemplo de Manhattan. Entretanto pela falta de planejamento e poluição das águas paulistanas, esse modal ainda não pode ser implantado.
O poder público da cidade prometeu que, em 2022, o Rio Pinheiros será despoluído, proporcionando vida no local e a possibilidade de transportes.
Trólebus parados entre o Viaduto do Chá e a rua Líbero Badaró
J. Duran Machfee/Futura Press/AE
Tecnologia
Uma das tecnologias que já estão funcionando no estado fica por conta das câmeras de segurança. A cidade de São Bernardo do Campo, no ABC, por exemplo, possui câmeras em todos os ônibus, que tiram uma foto da pessoa que utiliza os bilhetes especiais, como os da gratuidade, por exemplo. Ao ser constatada a fraude, o bilhete pode ser cancelado, evitando prejuízos ao poder público.
Em nota, o governo disse que pretende reduzir o esgoto lançado no Rio Pinheiros e que, no futuro, com o rio limpo, será possível fazer o transporte hidroviário com investimento privado.