Ana Frango Elétrico inicia ciclo com single ‘Mama planta baby’, produzido pela artista


♪ Após dois álbuns que repercutiram bem na cena indie carioca, Mormaço queima (2018) e Little electric chicken heart (2019), Ana Frango Elétrico inicia ciclo na trajetória fonográfica com a edição do single Mama planta baby nesta quarta-feira, 30 de setembro, via Selo Risco.
É a primeira vez que a artista carioca – nascida em 9 de dezembro de 1997 com o nome de Ana Fainguelernt – assina sozinha a produção musical de um disco.
Mama planta baby é o primeiro de dois inéditos singles autorais que a artista gravou e produziu de forma remota durante o isolamento social com as presenças dos músicos Alberto Continentino (baixo), Joca (percussão eletrônica) e Vovô Bebê (flautas), além de Dora Morelenbaum e Lucas Nunes nas vozes do coro da gravação. Além de cantar e produzir o fonograma, Ana assumiu violão, bateria eletrônica, órgão, glockenspiel e os efeitos dessa faixa mixada e masterizada por Martin Scian.
Capa do single ‘Mama planta baby’, de Ana Frango Elétrico
Divulgação
A intenção da artista foi experimentar sons e timbres sem se desviar radicalmente da linha do interessante álbum Little electric chicken heart.
“Pensei numa melodia que pudesse ser cantada para plantas e bebês, trazendo timbres que têm me interessado, como o da flauta, órgão e violão, e misturando elementos da bossa nova, chamber-pop e soft-eletro-indie. Quis explorar efeitos, estéreos e repetições trazendo elementos em comum ao Little electric chicken heart, como dobras, coros, metais, e divergindo em outros aspectos, como forma e timbres”, conceitua Ana Frango Elétrico.